TEMA 05: Precarização do trabalho como característica de reprodução da desigualdade
   Luiz  André Medeiros  │     25 de setembro de 2015   │     18:48  │  0

Tema 5

 

PROBLEMÁTICAS:

  • A sociedade é dividida em classes sociais com interesses opostos: o trabalhador visa melhores salários e condições de trabalho; o empresário, lucro e expansão de seu negócio.
  • A Revolução Industrial e o novo modelo de racionalização dos processos de produção que visava o aumento da produtividade sem aumentar a quantidade de produção de produtos de um mesmo modelo e nem contratar mais mão de obra.
  • A tecnologia surge no trabalho para tornar ágil o processo de produção e diminuir seus custos. Dessa forma, ocorre a desvalorização da mão de obra humana, que em larga escala implica no desemprego de milhares de trabalhadores.
  • Em algumas áreas, é escassa a oferta de vagas. Noutras, há vagas em vários setores. Mas o que realmente falta é mão de obra qualificada para o exercício de ofícios específicos.

VISÃO UNIVERSALISTA:

Há diferenças entre os clássicos na abordagem do trabalho: Durkheim vê o trabalho como uma atividade que proporciona integração social; Weber o relaciona a uma prática social marcada pelo encontro do protestantismo com o “espírito” capitalista; Marx entende que o trabalho assalariado é uma atividade típica do capitalismo e sua exploração permite que essa sociedade se reproduza socialmente. A compra e venda da força de trabalho aparenta ser uma relação entre iguais, mas na prática é uma desigualdade imposta pela relação entre classes sociais. A desigualdade é algo intrínseco ao capitalismo.  O Fordismo e o Toyotismo são reestruturações produtivas ou “Revoluções Passivas” na visão do filósofo italiano Antonio Gramsci.  Essas reestruturações objetivam restaurar os lucros capitalistas e para tal, introduzem novas formas de controle do trabalho e de aceleração da produção.

INTRODUÇÃO:

O modelo econômico nosso representa a divisão da sociedade em classes com interesses opostos: a classe dos trabalhadores, que luta por melhores condições de trabalho e remuneração, e a classe empresária, que busca lucrar e expandir sua empresa e, para tanto, não é necessariamente importante que o anseio do trabalhador seja cumprido. Dessa forma, as condições e ambiente de trabalho ficam cada vez mais precários, o que reproduz em larga escala a desigualdade social.

HIPÓTESES DE SOLUÇÃO:

  • Fiscalizar indústrias e empresas para fins de cumprimento dos dispositivos da legislação.
  • Implementar políticas públicas capazes de garantir à população o acesso a cursos profissionalizantes.
  • Recorrer aos sindicatos e organizações que representam os trabalhadores sempre que se fizer necessário para a busca de melhores condições de trabalho.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *