TEMA 08: Os limites entre a estética e a saúde
   Luiz  André Medeiros  │     29 de setembro de 2015   │     0:04  │  1

 

Tema 8

PROBLEMÁTICAS:

  • O padrão de beleza é imposto pela mídia para a aceitação social do indivíduo. Se o indivíduo foge desse padrão estabelecido, fica mais suscetível a sofrer algum tipo de discriminação ou preconceito.
  • A cirurgia estética, como qualquer outro tipo de procedimento cirúrgico, traz inerente a si certo grau de perigo à saúde ou até a própria vida do indivíduo. O imediatismo em “corrigir cirurgicamente defeitos”, que poderiam ser ajustados com alimentação saudável e atividade física em médio prazo, pode ocasionar complicações maiores à saúde.
  • Já faz parte do cotidiano ver ou ouvir falar de dietas e remédios milagrosos que prometem o corpo perfeito em poucos dias. O que pouco se vê são campanhas alertando sobre o perigo que esse tipo de automedicação sem prescrição ou acompanhamento profissional representa à saúde.
  • A insatisfação com o próprio corpo é responsável por causar doenças que hoje atingem grande parte da população, tais como a depressão, a compulsão alimentar, a obesidade, a anorexia, a bulimia, entre outras.

VISÃO UNIVERSALISTA:

          A publicidade e o consumo parecem ser aspectos estruturantes da prática do culto ao corpo. A primeira, por tornar presente diariamente na vida dos indivíduos temáticas acerca do corpo, seja pelas mais avançadas tecnologias ou pelo “mais recente chá descoberto”, ditando cotidianamente estilos e tendências. A segunda, pelo horizonte que torna o corpo um objeto passível de consumo. A lógica do consumo se faz imperiosa nos modos de relação que estabelecemos com o nosso corpo. O nosso corpo tornou-se extensão do mercado e os produtos de beleza suas valiosas mercadorias. Entender o modo pelo qual a sociedade compreende e se relaciona com o corpo é uma questão fundamental na medida em que Bauman propõe que devemos conceber o corpo como potencialidade elaborada pela cultura e desenvolvida nas relações sociais. Torna-se válido reconhecer que, na maior parte das vezes, estabelecemos com nosso corpo uma relação estética subordinada a padrões de beleza e saúde, evidencia que o corpo se mostra como fenômeno social e cultural. O corpo é, por assim dizer, um vetor semântico pelo qual a evidência da relação com o mundo é construída.

INTRODUÇÃO:

          A aceitação social, hoje, passa por uma etapa crucial: o padrão de beleza imposto pela mídia à sociedade sem que essa possa manifestar-se sobre. A pessoa que não está de acordo com esse padrão certamente passará por algum desconforto ou até discriminação, logo, a busca pelo corpo perfeito é uma realidade cotidiana de milhares de pessoas em todo o mundo. Remédios, dietas, academia, cirurgias plásticas – até que ponto a estética coincide com hábitos de vida saudáveis?

HIPÓTESES DE SOLUÇÃO:

  • Acompanhamento médico, nutricional e psicológico nas escolas de ensino fundamental e médio.
  • Fiscalizar e controlar a venda de remédios inibidores de apetite.
  • Debater a discriminação, o padrão de beleza e suas consequências.

>Link  

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. catia Delatorre

    Boa tarde sou professora de Língua Portuguesa e Espanhola, achei interesse suas propostas no FACE, gostaria de conhecer melhor o trabalho de Vocês, mora no Rio Grande do Sul.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *