TEMA 22: O cyberbullyng e o direito de privacidade
   Luiz  André Medeiros  │     10 de outubro de 2015   │     11:13  │  0

Tema 22

PROBLEMÁTICAS:

  • O potencial que a tecnologia tem de transformar a escala de propagação de uma imagem, um vídeo, um “chat”.
  • A facilidade de acesso às novas tecnologias e a constante mutação do conceito de privacidade: a quantidade absurda de dados processados simultaneamente e a impossibilidade de não ter algum aspecto da privacidade desrespeitado.
  • A vulnerabilidade do internauta e sua parcela de culpa: assinar serviços sem ler os termos de uso ou compartilhar informações em perfis abertos dificulta a proteção da privacidade.
  • O Marco Civil da Internet: estabelece a preservação dos dados nos provedores de execução e aplicação de serviço, o que contribui para a identificação do agressor.
  • A negligência à educação digital nas escolas.

VISÃO UNIVERSALISTA:

  • Thomas Hobbes – Alguns estudiosos desenvolvem um paralelo deste domínio com o livro Leviatã, escrito por Thomas Hobbes (1588-1679). a obra defende a existência de um governo absoluto, central e forte, que, efetivamente, toma conta de tudo. Hoje, a internet pode ser considerada o Leviatã Digital, uma vez que exerce total controle sobre nossos atos.
  • Andrew Feenberg – considera a tecnologia como a “estrutura material” da Modernidade. Mas ela não é apenas um instrumento neutro, pois enseja valores antidemocráticos originários da sua vinculação com o Capitalismo, que observa o mundo em termos de controle. Para Feenberg, os valores e interesses das classes dominantes estão representados no desenho tecnológico.

INTRODUÇÃO:

As indispensáveis plataformas de tecnologia, quando mal utilizadas, conduzem estragos por vezes irreparáveis. As redes sociais facilitam a comunicação e a propagação de informações. A tecnologia tem o potencial de transformar a escala de propagação de dados num click e, assim, a imagem de alguém que não autorizou a sua divulgação torna-se um viral, é o cyberbullyng. Dessa forma, a quantidade absurda de dados processados simultaneamente transforma o conceito de privacidade, e fica cada vez mais difícil não ter algum de seus aspectos respeitado.

HIPÓTESES DE SOLUÇÃO:

  • Ler os termos e condições ao assinar serviços online.
  • Ter cautela ao compartilhar informações em perfis abertos.
  • Entender que os atos praticados na internet têm consequências no mundo real e geram responsabilização a quem os pratica.
  • Promover a educação digital nas escolas.
  • Buscar a identificação do autor da ofensa e a devida reparação pelos danos causados.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *