TEMA 23: A expansão das ciclovias – espaço para todos
   Luiz  André Medeiros  │     11 de outubro de 2015   │     14:35  │  0

Tema 23

PROBLEMÁTICAS:

  • Integração dos diferentes meios de transporte: melhora a acessibilidade e mobilidade das pessoas e cargas, além de reduzir as desigualdades e promover a inclusão social e o desenvolvimento sustentável.
  • A falta de recursos de grande parte da população para se locomover.
  • A bicicleta como alternativa de locomoção para pequenas a médias distâncias, principalmente para a população mais carente, contribuindo para a rede de transporte de massa.
  • A redução de emissão de gases na atmosfera, já que a bicicleta constitui meio de locomoção não poluente.
  • A prática esportiva e manutenção de hábitos saudáveis.

VISÃO UNIVERSALISTA:

  • Questão Ambiental

As transformações do ecossistema acontecem rapidamente no cenário mundial, o que colabora para os grandes impactos sofridos pela natureza, causando esgotamento de recursos renováveis na atmosfera, nas águas, nos solos e extinguindo espécies de seres vivos. Os problemas ambientais irreversíveis são basicamente potencializados pelas emissões de dióxido de carbono, que alteram a atmosfera da Terra, influenciando nas mudanças climáticas que tendem a ameaçar a sobrevivência das espécies.

  • Direitos Fundamentais do Homem – o direito de viver “slow”

Políticas públicas sociais são necessárias para integrar a estética da cidade aos lugares de lazer e bem-estar da população. O lazer e a qualidade de vida foram incluídos entre os direitos fundamentais humanos pelas Nações Unidas em 1948. Com as transformações do perímetro urbano, os valores da sociedade também acabam por transformar suas relações de comportamento em relação à saúde e à vivência urbana. Além das relações dos cuidados com o corpo em questão da saúde, existem outras questões, como a sobrevivência. Essa tendência global do viver “slow” transforma os estilos de vida, os espaços públicos e o consumo. À medida que as pessoas desaceleram, adquirem melhor qualidade de vida e consomem os espaços públicos para a interação social e lazer, o que faz com que as políticas públicas reorganizem esses espaços e fortaleçam a interação social.

  • Lei de Mobilidade Urbana

Se considerarmos que o império do veículo automotor individual está baseado em um investimento vultoso em propaganda, e que toda a sociedade “civilizada” está num processo de sedentarismo crescente, é possível antecipar os entraves à lei da política de mobilidade urbana sustentável, pois não se está falando de ideologia, mas em modificar hábitos de vida.

Fundamentos (art. 5º):

  • Acessibilidade universal.
  • Desenvolvimento sustentável das cidades, nas dimensões socioeconômicas e ambientais.
  • Equidade no acesso dos cidadãos ao transporte público coletivo.
  • Segurança nos deslocamentos das pessoas.
  • Justa distribuição dos benefícios e ônus decorrentes do uso dos diferentes modos e serviços.

INTRODUÇÃO:

Nos últimos anos, houve um aumento significativo nos investimentos em espaços exclusivos para ciclistas. Contudo, as ciclovias no Brasil são, em geral, de pequena extensão e isoladas, o que dificulta o acesso e circulação dos ciclistas, principalmente em grandes metrópoles. A integração dos diferentes meios de transporte é fundamental para melhorar a acessibilidade e mobilidade das pessoas e promover a inclusão social e o desenvolvimento sustentável.

HIPÓTESES DE SOLUÇÃO:

  • Expandir a malha cicloviária.
  • Investir em ações de conscientização e educação no trânsito.
  • Investir na estruturação e sinalização das vias.
  • Fiscalizar o trânsito dentro e nas entradas e saídas das ciclovias.
  • Incentivar o uso de bicicletas como alternativas para o cuidado da saúde e do meio ambiente.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *