TEMA 29: O descrédito nos partidos políticos: a crise da representatividade
   Luiz  André Medeiros  │     14 de outubro de 2015   │     12:27  │  0

Tema 29

PROBLEMÁTICAS:

  • Em uma democracia representativa, os partidos políticos constituem instrumento do exercício da soberania popular e devem assegurar ao cidadão a expressão de sua legítima vontade.
  • Recentes pesquisas realizadas pelo Ibope e FGV têm estabelecido indicadores do nível de confiança da sociedade perante suas instituições. Nessas pesquisas, os partidos políticos apresentam alarmantes 72% em nível de desconfiança.
  • Os recentes casos de corrupção tem colaborado para o aumento do nível de desconfiança. A crise política adquiriu maior relevância por envolver a cúpula do parlamento: os presidentes da câmara e do senado, segundo e terceiro na linha de sucessão presidencial, respectivamente.
  • Os partidos políticos estão, hoje, na contramão da dimensão que tem tomado os movimentos sociais, estão fechados em si mesmos aumentando a crise da representatividade.

VISÃO UNIVERSALISTA:

É certo que, para além dos problemas da conjuntura, há uma crise estrutural, que exige novos paradigmas.  Hoje, os partidos já não possuem o monopólio representação política dos cidadãos. A pressão das ruas, os mecanismos de participação direta, as redes e mídias sociais são novos elementos que vieram para ficar. Entretanto, seria uma imensa ingenuidade supor que estas possam substituir as instâncias institucionais da política. Já não vivemos na pólis grega, mas em sociedades complexas que exigem institucionalidade sofisticada, inclusive para garantir, não apenas os direitos da maioria, mas também a representação de toda a diversidade existente na sociedade.

INTRODUÇÃO:

Todo partido político deve traduzir os legítimos anseios do povo e possibilitar a transformação destes, firmado na sua bandeira ideológica, em programa de governo. Na falta de credibilidade, contudo, fica evidente a ausência de simpatia da sociedade para com os partidos políticos, sobretudo por eles não se identificarem com os problemas da população. A lógica de funcionamento dos partidos tem mostrado muitas incoerências, principalmente nas votações, quando não há um consenso em torno de uma política.

HIPÓTESE DE SOLUÇÃO:

  • Fiscalizar e cobrar dos partidos políticos, para que se mostrem para a sociedade não apenas nos períodos eleitorais, mas atuando diretamente na efetivação da legítima vontade social.
  • Expulsar seus membros na hipótese de comprovado envolvimento em casos ilícitos.
  • Aproximar suas teses da base popular com deliberações nos bairros e comunidades.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *