TEMA 38: Como diminuir o analfabetismo funcional no Brasil
   Luiz  André Medeiros  │     17 de outubro de 2015   │     19:56  │  0

Tema 38

PROBLEMÁTICAS:

  • O analfabetismo funcional se caracteriza quando o indivíduo, embora reconheça números, símbolos e letras, não desenvolve habilidades de leitura, escrita, interpretação de textos e realização de operações matemáticas que sejam compatíveis com a sua escolaridade. Atualmente, cerca de 13 milhões de brasileiros são considerados analfabetos funcionais.
  • A exclusão, a discriminação e a dificuldade de comunicação são fatores que sustentam, hoje, o analfabetismo funcional que compromete o desenvolvimento pessoal, social e profissional do indivíduo.
  • A modalidade de ensino à distância (EAD) apresenta-se como alternativa para a redução do analfabetismo funcional uma vez que chega a alcançar locais mais distantes do país, adequando-se às necessidades do aluno através do oferecimento de um ensino personalizado.

VISÃO UNIVERSALISTA:

Durkheim acreditava que a sociedade seria mais beneficiada pelo processo educativo. Para ele, “a educação é uma socialização da jovem geração pela geração adulta”. E quanto mais eficiente for o processo, melhor será o desenvolvimento da comunidade em que a escola esteja inserida. Nessa concepção durkheimiana, as consciências individuais são formadas pela sociedade. A construção do ser social, feita em boa parte pela educação, é a assimilação pelo indivíduo de uma série de normas e princípios – sejam morais, religiosos, éticos ou de comportamento – que baliza a conduta do indivíduo num grupo. O homem, mais do que formador da sociedade, é um produto dela.

INTRODUÇÃO:

O analfabetismo funcional, situação vivida por cerca de 13 milhões de brasileiros, caracteriza-se pelo não desenvolvimento das habilidades de leitura, escrita, interpretação de texto e operações matemáticas compatíveis com a escolaridade de um indivíduo. Quem se encontra nesta situação tem seu desenvolvimento pessoal, social e profissional comprometido geralmente por fatores ligados à exclusão, discriminação e dificuldade de comunicação.

HIPÓTESES DE SOLUÇÃO:

  • Idealizar e instalar novos aparatos pedagógicos para reformular os métodos de ensino capazes de reduzir o analfabetismo funcional.
  • Investir na modalidade de ensino a distância (EAD) como forma de garantir o acesso à educação àqueles que por algum motivo não mais se enquadram no sistema de ensino tradicional.
  • Extrapolar a visão tecnicista de alfabetização através do letramento, ou seja, ensinar a ler e a escrever dentro de um contexto de realidade da vida do aluno, designando práticas de leitura e escrita.
  • Realizar o letramento com crianças em idade escolar e incentivá-las às práticas de escrita e leitura.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *