TEMA 40: Trabalho e qualidade de vida no mundo moderno
   Luiz  André Medeiros  │     18 de outubro de 2015   │     18:52  │  0

Tema 40

PROBLEMÁTICAS:

  • Workaholic, expressão em inglês oriunda da palavra alcoholic (alcoólatra), designa pessoa viciada em trabalho, que não consegue dele se desligar, muitas vezes levando o trabalho para casa. Isso afeta a convivência familiar e social do indivíduo, que acaba por interagir apenas com as pessoas do ambiente de trabalho.
  • A globalização traz consigo a questão da competitividade, uma das grandes causas do workaholism (vício em trabalho): o indivíduo deve se destacar, sobressair sobre os demais para garantir o seu emprego. Então, acaba por não analisar os custos e as consequências desta necessidade.
  • O maior medo do workaholic é o medo de fracassar, por isso ele sempre busca entregar o melhor de si e esgotar todas as possibilidades para buscar resultados. Esse tipo de atitude pode ser prejudicial à qualidade de vida do indivíduo, ocasionando condições que vão desde mau-humor, insônia, impotência sexual, episódios de agressão e pode desencadear doenças mais nocivas como a depressão.

VISÃO UNIVERSALISTA:

Os alicerces da produção social deslocaram-se da agricultura para a indústria quando o comércio se sobrepôs ao trabalho agrícola e ampliou suas atividades. Na revolução industrial, que se iniciou no século XVIII, as fábricas juntaram num só espaço trabalhadores e os novos meios de produção, as máquinas. O modo de produção social da época industrial aumentou a especialização das tarefas e a divisão do trabalho, contribuindo para o afastamento das pessoas do conteúdo de suas próprias atividades e, finalmente, a revolução atual, que insere o trabalhador na era do conhecimento; requer dele o desenvolvimento de habilidade para lidar com um mundo extremamente complexo, incerto e instável.

INTRODUÇÃO:

No mundo globalizado, o funcionário precisa provar sua competência e utilidade à empresa para manter seu emprego. Dessa forma, estabelece-se a competitividade interna entre funcionários, que é saudável e benéfica à empresa. Contudo, quando essa competitividade extrapola os níveis de normalidade dentro da empresa e se transforma num vício, surge um grande problema: o workaholic, aquele indivíduo que não consegue se desligar do trabalho, prejudicando sua convivência social-afetiva.

HIPÓTESES DE SOLUÇÃO:

  • Coibir o acúmulo de trabalho e a necessidade de levá-lo para casa, estabelecendo metas a serem cumpridas em tempo hábil e incentivando a competitividade saudável como estímulo para o bom cumprimento do trabalho no horário de expediente.
  • Oferecer acompanhamento psicológico dentro das empresas para evitar que qualquer tipo de situação possa afetar negativamente a vida do funcionário dentro e fora da empresa.
  • Promover cursos e palestras com a temática da qualidade de vida no ambiente de trabalho, bem como estabelecer pausas no expediente para a realização de atividades de relaxamento.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *