TEMA 46: Os desafios para os jovens de hoje
   Luiz  André Medeiros  │     21 de outubro de 2015   │     7:45  │  0

Tema 46

PROBLEMÁTICAS:

  • As idades sociais da adolescência e da juventude se confundem entre o que se deixa de ser e o que ainda não se chegou a ser. A juventude consiste socialmente no adiamento das “responsabilidades adultas” com a condição de adquirir habilidade para livrar-se da dependência de instituições de amparo à criança, como família e escola.
  • Um dos maiores obstáculos ao desenvolvimento e ao reconhecimento da juventude como um segmento que tem a contribuir com a sociedade são os mitos, por exemplo, de que o jovem é um revoltado, inconsequente, irresponsável. Os mitos impedem perceber o jovem como um interlocutor confiável. Outro obstáculo é a falta de investimento em canais para a sua organização.
    • Um aspecto fundamental da participação da juventude é a sua relação com a mudança social. A cultura muda quando muda o sujeito que é construído nela. Portanto, é relevante analisar a dimensão subjetiva da participação do jovem relacionando-a a questão das gerações.

VISÃO UNIVERSALISTA

Na década de 50 e início da de 60 do século XX, se caracteriza, nos países mais avançados economicamente, a separação entre jovens e família, enfatizando a busca daqueles por autonomia e mais liberdade. Dessa forma, as décadas de 60 e 70 foram assinaladas pelos movimentos estudantis juvenis, pelo consumo intenso da música, ocasionando um rompimento com as regras estabelecidas, com as formas de dominação. Já as décadas de 80 e 90 marcam o resgate de valores à sombra da homogeneidade da cultura adulta. Por conseguinte, a juventude presente nessa fase histórica se configura como uma categoria social, formada por símbolos contemporâneos e marcada pelo resgate de valores à sombra dos valores adultos.

INTRODUÇÃO:

A participação dos jovens não depende só de vontade e oportunidade, mas da posição deles na estrutura social e na relação com as “velhas gerações”. A forma como as sociedades incorporam as novas gerações tem a ver, também, com as relações de poder entre gerações adultas e jovens: a participação juvenil não resulta somente de um encontro feliz entre a vontade de participar dos jovens e as oportunidades que lhes são abertas para fazê-lo, mas também de um complexo sistema de hábitos, regras, regulamentos, instituições e práticas destinadas a negociar os conflitos da reprodução das gerações.

HIPÓTESES DE SOLUÇÃO:

    • Trabalhar formas de estimular e promover a participação dos jovens em áreas confiadas estritamente a adultos, como política, educação e trabalho.
    • Ampliar a oferta de cursos profissionalizantes, para inserir no mercado de trabalho jovens qualificados e aptos a exercer melhores empregos.
    • Promover canais de formação e informação para o jovem qualificar-se e tornar-se sujeito de direito ativo e participativo dentro da sociedade.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *