Estudo Dirigido – Redação UNCISAL
   Luiz  André Medeiros  │     14 de dezembro de 2015   │     13:17  │  0

Novas Turmas 2016 (2)

          O Projeto Saber em Debate disponibiliza para os que acompanham nosso blog mais um estudo dirigido precedido de um estudo sobre as ciências sociais que irão ajudar a embasar sua produção textual.

Saber em debate e as ciências sociais

          Cidadania é a condição de ser reconhecido como membro de um grupo político por exemplo (um Estado) e de ter diretos e deveres resultantes dessa condição. Na definição da filósofa alemã Hannah Arendt (1906-1975) cidadania é “o direito de ter direitos”. Arendt pensava nas pessoas que foram expulsas de seus países durante a Segunda Guerra Mundial e, por isso, deixaram de ser reconhecidas como cidadãs de qualquer país: quem, nessa situação, poderia garantir os direitos dessas pessoas?

          Pense no que significa ser cidadão de um país (por exemplo, o Brasil). Significa ser, antes de tudo, do reconhecido pelos brasileiros como cidadão, tanto quanto eles, e reconhecê-los como cidadãos, tanto quanto você. Se uma pessoa rica ou poderosa acha, por exemplo, que a lei não se aplica a ela, mas apenas aos mais pobres, essa pessoa está desrespeitando os princípios da cidadania.

          Mas cidadania não é só ser reconhecido como parte de um país: um cidadão também tem direitos e deveres. E esses direitos e deveres não são os mesmos em todos os países nem em todas as épocas. Os direitos que compõem a cidadania foram conquistados por meio de longas lutas políticas.

          A análise clássica sobre a evolução da cidadania e dos direitos que a compõem foi feita pelo sociólogo inglês T. H. Marshall. Marshall identificou três tipos de direitos que formaram a cidadania moderna na Inglaterra. São eles:

  1. Direitos Civis: aqueles que permitem ao cidadão exercer sua liberdade individual. Por exemplo, o direito de dizer o que você pensa (liberdade de expressão), o direito de acreditar na religião que você quiser (ou não acreditar em nenhuma), o direito de fazer acordos e contratos com outros cidadãos e o direito a propriedade. Os direitos civis foram os primeiros a surgir na Inglaterra, se consolidando a partir do século XVIII.
  1. Direitos Políticos: são aqueles que permitem ao cidadão participar do exercício do poder político. São exemplos de direitos políticos o direito ao voto, o direito de se organizar com outros cidadãos para defender propostas (incluído aí o direito a formar partidos políticos) e o direito de ser eleito para cargos políticos. Os direitos políticos se consolidaram na Inglaterra no século XIX, com o reconhecimento do sufrágio universal: o direito de voto para todos os cidadãos.
  1. Direitos Sociais: são aqueles que garantem ao cidadão um mínimo de bem-estar econômico e uma vida digna, de acordo com o padrão do País e época. São exemplos de direitos sociais o direito a educação, à saúde, a uma aposentadoria na velhice ou em caso de invalidez. Os direitos sociais ganharam força no século XX com as conquistas dos movimentos operários europeus. que forçaram o Estado a prover a todos os cidadãos saúde e educação públicas, entre outros direitos.

          Em resumo, a cidadania é uma condição que nos permite participar como iguais da discussão política e uma reivindicação de que todos participem do que Marshall chamou de “herança comum” da sociedade, da riqueza que ela produz e da discussão sobre os valores que a sustentam.

Produzindo o texto

Texto 1

IMAGE

          A imagem acima parece uma cena comum dentro de um ônibus. Entretanto trata-se de um momento histórico muito importante. A mulher da foto é Rosa Parks, cidadã norte-americana que se rebelou contra a legislação racista dos anos 1950 nos estados do sul dos Estados Unidos, segundo a qual passageiros negros (que sentavam separados) deveriam ceder o lugar a um branco, quando a seção reservada a estes estivesse lotada. No dia 1º de dezembro de 1955, Rosa Parks se recusou a fazer isso e foi presa. Sua prisão desencadeou uma onda de protestos por todo o país. A foto mostra Rosa Parks dentro de um ônibus, no dia 21 de dezembro de 1956, um dia depois da revogação da lei racista.

Texto 2

          A cidadania é um status concedido aqueles que são membros integrais de uma comunidade. Toso aqueles que possuem o status são iguais com respeito aos direitos e obrigações pertinentes ao status. Não há nenhum princípio universal que determine o que estes direitos e obrigações serão mas as sociedades as quais a cidadania é uma instituição em desenvolvimento criam uma imagem de uma cidadania ideal em relação à qual a aspiração pode ser dirigida. A insistência em seguir o caminho assim determinado equivale a uma insistência por uma medida efetiva de igualdade, por enriquecimento da matéria-prima do status e um aumento no número daqueles a quem é conferido o status.

Thomas Hunthrey  Marshall, cidadania e classe social, 1950.

Proposta de Tema:

          Por que é tão importante ser reconhecido por nossos semelhantes? Muitas pessoas têm mais facilidade de entender movimentos sociais que reivindicam conquistas materiais (salários mais altos, terra, moradia popular, etc.) do que movimentos por reconhecimento. Para quem é ofendido e desrespeitado no dia a dia por causa da cor da pele, da orientação sexual, do gênero ou da religião, lutar contra esse desrespeito pode ser muito mais importante do que lutar por coisas materiais. Com base no que foi exposto na imagem e nos textos, escreva uma dissertação argumentativa com o seguinte tema: Por que é tão importante ser reconhecido socialmente por nossos semelhantes?

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *