Saber em Debate e a Nova Ortografia
   Luiz  André Medeiros  │     7 de janeiro de 2016   │     19:11  │  0

Novas Turmas 2016 (2)

          O novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa passou a vigorar no Brasil a partir de 2009. No entanto, houve um período de transição de 1º de janeiro de 2009 a 31 de dezembro de 2012, durante o qual coexistiram a norma ortográfica em vigor e a nova norma estabelecida. Agora oficial, a reforma é meramente ortográfica: diz respeito à língua escrita, não à língua falada.

          As novas regras serão exigidas em documentos oficiais, exames e provas, e também devem ser colocadas em prática no nosso dia a dia. Palavras escritas na antiga grafia da língua serão consideradas incorretas a partir de agora. Dúvidas em relação à forma como escreveremos agora também surgirão, mas teremos uma maior facilidade já que algumas regras foram simplificadas.

O Saber em Debate esclarece as principais mudanças para você adequar a sua grafia:

Trema

O uso do trema foi abolido para todas as palavras.

Uso correto dos acentos

– Palavras terminadas em ÔO(S) ou ÊEM perdem o acento circunflexo.

Ex.: voo(s) e creem.

Obs.: Os plurais dos verbos TER e VIR mantêm o acento (Ex.: elas vêm).

– Ditongos abertos ÉI e ÓI em palavras paroxítonas perdem o acento agudo.

Ex.: Ideia e assembleia.

Obs.: O acento permanece nas oxítonas e em palavras com uma única sílaba.

– Vogal tônica do hiato formado com ditongo decrescente perde o acento agudo.

Ex.: feiura.

Obs.: O acento permanece se o ditongo não é decrescente (Ex.: saída).

– Palavras homônimas perdem o acento diferencial.

Ex.: para e polo.

Obs.: O verbo PÔR e a palavra PÔDE mantêm o acento.

Novas Turmas Humanas 2016 (2)

Uso correto do hífen

Cai o uso do hífen em:

– Palavras compostas por elementos de conexão.

Ex.: Mão-de-obra fica mão de obra e dia-a-dia fica dia a dia.

– Palavras derivadas com prefixos dissílabos terminados em vogal, desde que a palavra seguinte não comece por H ou pela mesma vogal do final do prefixo.

Ex.: autorretrato e contraindicação.

Obs.: Palavras compostas que sejam topônimos (indicam localidades) ou adjetivos pátrios não perdem o hífen (Ex.: sul-africano e norte-americano). – Palavras derivadas com prefixo CO. Ex.: cofundador e coprodução.

– Palavras que comecem com o advérbio NÃO.

Ex.: não fumante e não violência.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *