Texto do Aluno Redação em Debate (7)
   Luiz  André Medeiros  │     31 de março de 2016   │     13:31  │  0

          Nessa quinta-feira realizamos mais uma análise da produção textual de uma de nossas alunas. Dessa vez a avaliada em questão conseguiu obter uma excelente nota em nossos critérios de correção, ou seja, a nota da aluna está bastante próxima da avaliação que poderia ter sofrido no Exame Nacional do Ensino Médio. Acompanhe na íntegra a redação:

A ideia de ter uma arma de fogo é sinônimo de proteção individual andre

Redação da aluna Francine Nabuco:

          O Brasil vivenciou uma corrida armamentista nacional nos anos 1980 e 1990, levado pela crença da segurança individual e do exercício arbitrário das próprias razões, devido à forte tradição de impunidade existente. No entanto, apesar da burocracia e lentidão dos processos judiciários, além da ineficácia do sistema prisional, ao analisar a macroestrutura social é possível inferir o aumento da violência.

          O porte de armas proporciona uma falsa sensação de proteção, haja vista os riscos elevados de acidentes, suicídios e assassinatos por motivos banais, tais como brigas familiares, entre vizinhos e no trânsito. Além disso, inexiste eficácia comprovada na inibição ou contenção de delitos, pois o fator surpresa nessas ocasiões desproporciona à vítima tempo suficiente para reagir. A maior facilidade na obtenção desse item, portanto, apenas proporciona o acesso criminosos não profissionais e, consequentemente, o aumento de crimes passionais.

          O número de homicídios crescia 8,4% ao ano entre 1980 e 2003, ano da implantação do Estatuto do Desarmamento. Não obstante, houve uma queda para 0,5% nos anos subsequentes, o que comprova, desse modo, a validade em manter a população desarmada. Diversas mídias de manipulação, contudo, somadas a líderes políticos, representam os interesses das principais indústrias do setor, Taurus e Rossi, por meio de financiamento, para tentar convencer a sociedade de que seria vantajoso obter esses produtos como meio de defesa social.

          O Estado, portanto, deve anular essa necessidade ao fornecer subsídios que promovam a paz e o bem-estar social, por vias de um aparato judiciário mais veloz, bem como uma polícia que atue de maneira integrada em seus diferentes segmentos, treinada com base nos princípios humanísticos. Também é necessária uma reformulação do sistema prisional, a fim de pôr em prática seu caráter ressocializador com o objetivo de diminuir os índices alarmantes de reincidência, por meio de programas que visem reinserir os presos no mercado de trabalho.

8e9e9cb0-cb5f-4923-a2f0-83d4bcc1f8fa

69f88d59-2b2a-4781-a319-6f5ea9e95b56

Nota da aluna: 960

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *