Texto do Aluno Redação em Debate (21) com espelho Saber em Debate
   Luiz  André Medeiros  │     2 de junho de 2016   │     21:21  │  0

          O Projeto Redação em Debate não poderia estar mais satisfeito com os resultados do vestibular de Medicina CESMAC, realizado no último fim de semana. Além dos elogios dos nossos alunos quanto a semelhança de nossas atividades e simulados à prova realizada no sábado, ficamos felizes em acertar o tema da redação pelo terceiro vestibular seguido. Não é e nunca será nosso objetivo acertar os temas dos vestibulares. Nossas metas sempre estão focadas na produção do melhor conteúdo para o nosso aluno, para que ele possa sozinho gerar bons argumentos durante sua produção. Essa é a cara do projeto Redação em Debate: um projeto onde o aluno realmente aprende a ser um bom escritor, e não apenas um mero reprodutor de jargões, clichês e dados fornecidos pelo professor. Foi assim que nos últimos anos nos tornamos a isolada de redação referência em qualidade e aprovação no estado de Alagoas.

          Confira agora mais uma produção -hoje do aluno Bruno Ramos de Araújo- que alcançou mais uma vez os objetivos de pontuação do projeto, recebendo aquela nota com significado de “perfeição” aos olhos dos corretores, ou seja, acima dos 900 pontos.

São Paulo - O Dia Mundial sem Carro é comemorado na Avenida Paulista

Redação do aluno Bruno Ramos de Araújo:

          O processo de industrialização do Brasil foi responsável por criar a ideia de o carro seria o maio de transporte mais adaptado ao homem contemporâneo. No entanto, vive-se um período no qual a crescente industrialização invoca a necessidade, de repensar em novas alternativas para a mobilidade urbana. Dessa forma, mudar a arquitetura das cidades moldada para o automóvel e o estilo de vida sedentário do ser humano passam a ser prioridades para um futuro mais otimista.

          O desenvolvimento da indústria automobilística por JK, na década de 1950, proporcionou uma explosão na produção de veículos para o país. A adaptação a essa nova realidade teve como consequência o enraizamento da mobilidade no Brasil, o qual perdura até hoje, e funciona como um empecilho para a consolidação dos meios de transporte alternativos. Por isso, o Estado carrega consigo o papel de principal agente para a mudança desse cenário.

          Além disso, a urbanização do Brasil veio acompanhada do sedentarismo decorrente de uma rotina intimamente ligada ao lucro e afastada da preocupação com a saúde. Assim, a promoção de meios de transporte alternativos beneficia não só na questão da mobilidade, como também desenvolve um combate ao comodismo. Ademais, o estímulo à vida saudável também funciona como motor fundamental na alteração dessa lógica.

          Outra ação essencial para a transformação nas estruturas de locomoção urbana é a construção de ciclovias e de transportes inter-modais, por parte do Estado, junto a empresas privadas, bem como a adoção de leis que protejam e incentivem os adeptos de tais meios. As escolas, aliadas à família, cabe valorizar a busca pela saúde como bem primordial a ser preservado, com o intuito de promover a qualidade de vida e diminuir o sedentarismo.

1111111

33333

Nota do Aluno com espelho Saber em Debate:

44444

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *