Texto do Aluno Redação em Debate (24)
   Luiz  André Medeiros  │     21 de junho de 2016   │     17:10  │  0

          Mais um excelente texto de um dos nossos alunos do projeto Redação em Debate. Confira o texto da aluna Beatriz Mendonça, mas uma candidata para atingir a nota máxima nas redações dos vestibulares!

A perversidade da desigualdade social e o planejamento familiar  andre

Texto da aluna Beatriz Mendonça:

          Sob a óptica do cientista político americano Robert Putnam, um amplo “capital social”, denominação dada por ele para uma participação cívica, viabiliza minimizar problemas sociais existentes. Além disso, os benefícios estatais, comprovam a necessidade de uma ação conjunta entre Estado e população. Dessa forma, a garantia de condições mínimas necessárias aos cidadãos deve ser estabelecida, possibilitando aos mais vulneráveis uma competição mais justa pelos bens em disputa na sociedade.

          O Estado de bem-estar social é aquele que, segundo os princípios iluministas, foi criado para assegurar acessibilidade e direitos de forma igualitária aos cidadãos, ou seja, garantir uma proteção social. Nesse contexto, essa organização estatal se faz utópica em âmbito nacional, com a presença gritante da desigualdade social que destaca a ausência de assistências públicas suficientes, fazendo-se consequência da omissão política existente.

          A incapacidade do sistema atual, na administração da parte populacional excluída, evidencia uma conciliação falha entre liberdade econômica e proteção social. Consequentemente, a marginalização cresce no país, de forma a revelar a necessidade de uma maior interferência estatal, que ofereça, de fato, as condições que capacitem alcançar uma uniformidade.

          Logo, é imperiosa uma ação do Governo Federal na cobrança de impostos proporcionais às rendas individuais, a fim de obter condições que permitam a construção de uma sede eficaz de amparo aos menos privilegiados. Ademais, compete a ONG’s e ao serviço público a promoção de multirões que ofereçam os serviços públicos mais precários, com o objetivo de suprir a curto prazo os déficits mais urgentes.

Beatriz Mendonça

NOTA DA ALUNA:

11111

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *