Texto do Aluno Redação em Debate (31)
   Luiz  André Medeiros  │     9 de agosto de 2016   │     20:38  │  0

          Como fora prometido anteriormente aqui em nosso blog, hoje é dia de postagem em dobro! Tudo isso para que você que acompanha nossas postagens tenha sempre o melhor conteúdo e na maior quantidade possível. Esse é o momento de dedicar nosso espaço em homenagem à aluna Mônica Brito, mais uma fortíssima candidata aos mil pontos na prova do ENEM no fim do ano. Confira a redação na íntegra:

O ativismo digital é a nova maneira de fazer política andre

Redação da aluna Mônica Brito:

          Em coadunação ao filósofo Thomas Hobbes, o Homem não possui o instinto natural de sociabilidade e, assim, nasce o Estado, com o fito de preservar a harmonia social. No entanto, ao considerar o desenvolvimento desenfreado da tecnologia, infere-se que houve uma mudança no mundo. A internet é, hoje, uma ferramenta essencial para o processo de mobilização para ações políticas, em razão do seu poder de imediaticidade, o que gera, a necessidade de modificar a estrutura política e garantir o acesso à ela.

          O ciberespaço permite liberdade de expressão pública, dessa maneira, torna-se mais fácil disseminar ideologias, opiniões e críticas. Segundo o sociólogo Manuel Castells, esse processo é contínuo, positivo e espontâneo, que levará a uma democracia mais participativa. Como o atual cenário político brasileiro apresenta diversos escândalos envolvidos com corrupção, a sociedade passou a fazer uso dos meios midiáticos para expressar sua revolta. O Estado, porém, mantém a sua primazia e reduz a participação política social a um voto midiatizado a cada quatro anos, enquanto a internet revitaliza a democracia.

          Os avanços tecnológicos são os principais responsáveis pelo modelo de sociedade atual. Os comportamentos e valores são fundamentados à medida em que as redes de informação se aprimoram. Logo, houve um aumento nas relações políticas. Protestos e muitas mobilizações divulgadas na internet, para atingir o maior público possível. Nesse sentido, muitos países não garantem e, às vezes, impedem o acesso, à web para minimizar o impacto causado por ela, mas, de acordo com a Organização das Nações Unidas, desconectar uma pessoa da internet é uma violação dos direitos humanos.

          Portanto, é imperioso que o Estado promova uma reforma política, mediante o fim de sua hegemonia e a criação de canais que aumentem a receptividade das expressões populares nos meios de comunicação e nas ruas, com o objetivo de não permitir a conservação de um sistema político obsoleto. Assim como, a sociedade deve buscar a garantia dos seus direitos, por intermédio de exigências à política superior, a qual desconhece o acesso à internet como direito universal, com o propósito de garantir a prevalência de uma plena democracia.

2222

Nota da aluna:

1111

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *