Texto do Aluno Redação em Debate (38)
   Luiz  André Medeiros  │     19 de agosto de 2016   │     15:03  │  0

          Não poderíamos acabar nossa semana letiva de nosso blog sem mais um grande texto de um dos nossos alunos do projeto Redação em Debate. Confira agora um brilhante texto da aluna Renatha Fernandes, mais uma aluna que obteve a pontuação acima dos 900 pontos, segundos os critérios de correção do ENEM.

WhatsApp Image 2016-08-15 at 12.58.08

Texto da aluna Renatha Fernandes:

          No século XVIII, São Tomás de Aquino desenvolve a ideia de que só existe democracia com justiça social; todos são dignos e têm a mesma importância. Sob a óptica de Aquino, o Brasil é um país de extremos e com uma descrença social elevada. Dessa maneira, faz necessária uma modificação no modelo de Estado, com uma maior participação popular.

          A justiça social tornou-se um dos pilares da Constituição brasileira de 1988; através do aumento da renda e capacidade de consumo, as políticas sociais buscam garantir o direito à saúde e educação; no entanto, faltam leis que coloquem em prática essa norma. É fundamental modificar o modelo de Estado atual, ainda de caráter monárquico, onde aceita o uso do dinheiro público para fins individuais de quem está no poder. Economicamente, o Brasil está em 8º lugar mundial, porém há um abismo entre pobres e ricos.

          Dessa forma, a exigência de uma maior participação popular é indispensável. O Capital Social, de Robert Putnam, é determinado pelo nível de participação da população, quanto maior o número de pessoas nas ações coletivas, menores os problemas sociais. A população brasileira está letárgica, aceitou que a corrupção é algo natural e normal. Para realizar a transição de um Estado patrimonialista para um Estado moderno é preciso que haja indignação popular.

          Fica clara, portanto, a necessidade de medidas para resolver o impasse. Para gerar uma credibilidade democrática, é preciso de um poder político eficiente e com aplicação de leis. Através do Poder Legislativo, a criação de leis mais severas e o escalonamento da pena de acordo com o valor envolvido. O Estado tem que regulamentar os impostos sobre grandes fortunas, quem recebe mais, paga mais. Diminuindo, assim, os extremos brasileiros e a descrença social democrática.

22222

Horários Revisão Redação André

Nota da aluna:

1111

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *