Monthly Archives: setembro 2016

Texto do Aluno Redação em Debate (43)
   Luiz  André Medeiros  │     14 de setembro de 2016   │     4:30  │  0

          Chegamos ao meio da semana com mais uma nova postagem de um incrível texto de um dos nossos alunos do nosso projeto paralelo, o Redação em Debate. Com a preparação dos alunos a cada dia mais intensa para o início das semanas de revisão que antecedem a prova do ENEM, está se tornando cada vez mais comum em nosso curso encontrarmos notas acima dos 900 pontos. Isso mostra que o conteúdo fornecido em cada aula é da mais excelente qualidade, selecionado e destrinchado nas discussões em sala. Confira agora o texto do nosso querido aluno Adro Adonai, mais um fera com grandes chances de alcançar o tão almejado “Hall dos 900+” da Redação do ENEM:

Redação do aluno Adro Adonai:

A construção de uma sociedade inclusiva - a convivência com as pessoas deficientes andré

          Sob a óptica dos filósofos iluministas, o Estado foi criado para garantir os direitos do cidadão. Entretanto, há uma desigualdade de direitos ao se tratar de pessoas com deficiências, pelo fato de não possuírem acessibilidade devida tanto em espaço público, quanto em determinados locais privados. Dessa forma, faz-se necessária uma reestruturação do espaço urbano, além de uma conscientização da população.

          Na Grécia antiga, as crianças que nascessem com deficiência logo seriam jogadas de um penhasco, permanecendo apenas as saudáveis. No Brasil, por outro lado, não há tal atrocidade cometida aos portadores de deficiência; mas, a atual situação em que o espaço urbano se encontra prejudica a mobilidade e a acessibilidade desses indivíduos em determinados ambientes. O que, dessa forma, demonstra a fragilidade quanto à aplicação de direitos iguais para todos.

          Por outro lado, o espaço não é o único fator de influência nas desigualdades, mas também a população em si favorece que tal disparidade permaneça. Indivíduos que não possuam deficiência, muitas vezes, utilizam-se de locais preferenciais, como vagas em estacionamentos, ou assentos em ônibus destinados a cadeirantes. Essas atitudes desrespeitam não só a pessoa com deficiência, mas também a sociedade por mostrar um caráter individual.

          O Estado, portanto, deve prover uma reforma dessa ambientação do espaço público, com o intuito de efetivar o direito de ir e vir dessas pessoas portadoras de deficiências, por meio de reformas em calçadas e de transportes públicos, para os acomodarem melhor. Além disso, a sociedade deve participar dessa igualdade de direitos, com a ajuda da escola ao ensinar a respeitar os portadores, por meio de palestras, em que os palestrantes sejam deficientes que relatem experiências de vida.

 Chamada Rev Med Part Primeiros colocados juntos andré

Nota do aluno:

WhatsApp Image 2016-09-13 at 17.19.30

>Link  

Texto do Aluno Redação em Debate (42)
   Luiz  André Medeiros  │     9 de setembro de 2016   │     13:21  │  0

Sexta feira é dia de texto nota mil no Blog Saber em Debate!!! Toda a equipe do Projeto Redação em Debate está impressionada com a tamanha evolução dos alunos que participam ativamente de nossas aulas. Confira hoje o texto do aluno Caio Lyra, mais um de nossos alunos com grandes chances de alcançar os mil pontos na prova de Redação do ENEM que será realizada no fim deste ano!

Um Estado plurinacional só é possível quando reconhecermos as populações indígenas andré

Redação do aluno Caio Lyra:

          Produto de divergências culturais e étnicas, a sociedade formadora do Brasil, apesar de possuir o indígena como expoente genuinamente nacional, foi – e ainda é – atraída e induzida por uma faceta conservadora e excludente em relação à incorporação da cultura nativa e a consequente participação do índio como um ser social. Nesse âmbito, é importante destacar a ausência do “Capital social”, proposto por Robert Putnam, no sentido de validar um bem-estar e o posterior desenvolvimento harmônico da comunidade cívica. Logo, o reconhecimento e a aplicação dos direitos legais já propostos aos nativos e a união cidadã em busca de uma maior valorização do papel deles na conjuntura social são incontestáveis.

          Em grande parte do seu período histórico, o Brasil considerou os indígenas como o reflexo de uma comunidade atrasada e excessivamente incompatível, em sua forma bruta, com a vida cívica. Isso demonstra uma visão altamente preconceituosa que precisa ser abolida para alcançar-se o ápice sociocultural almejado. Historicamente, parece que apenas na 1ª fase do Romantismo brasileiro o índio teve realmente seu valor social comprovado. Porém, a Iracema de José de Alencar demonstra que teve vida curta e as belas poesias indígenas de Gonçalves Dias já não ecoam mais no silencioso salão da dita sociedade miscigenada brasileira.

          Em relação à representabilidade dos índios nas diferentes classes e camadas sociais, percebe-se a escassez de representantes político-sociais desse povo, tanto no processo eleitoral, quanto no assistencial. Assim, apesar da garantia dos direitos previstos pela Constituição em 1988, não há a efetivação deles e, consequentemente, deixa de existir uma valorização do índio como um elemento integrador da comunidade. por consequência, órgãos como a FUNAI carecem de uma “voz ativa” que possa levar à discussão projetos de inclusão da classe indígena e seu respectivo conhecimento cidadão.

          Nesse sentido, a efetivação do indígena como um ser social e possuidor de direitos torna-se de urgente importância. Desse modo, o Ministério Público deve fiscalizar a garantia desses direitos e, se necessário, punir penalmente àqueles que tentarem obstruir o exercício da inclusão indígena. Sob outra análise, a aliança entre ONG’s e a mídia para a divulgação da importância do reconhecimento da plurinacionalidade brasileira, a fim de mobilizar a população e mostrar que essa causa é, além de necessária para a harmonia social, uma legitimação da sociedade civil e democrática, são medidas imprescindíveis.

111

Revisão Particulares Turma Especial andré

NOTA DO ALUNO:

22222

>Link