Texto do Aluno Redação em Debate (42)
   Luiz  André Medeiros  │     9 de setembro de 2016   │     13:21  │  0

Sexta feira é dia de texto nota mil no Blog Saber em Debate!!! Toda a equipe do Projeto Redação em Debate está impressionada com a tamanha evolução dos alunos que participam ativamente de nossas aulas. Confira hoje o texto do aluno Caio Lyra, mais um de nossos alunos com grandes chances de alcançar os mil pontos na prova de Redação do ENEM que será realizada no fim deste ano!

Um Estado plurinacional só é possível quando reconhecermos as populações indígenas andré

Redação do aluno Caio Lyra:

          Produto de divergências culturais e étnicas, a sociedade formadora do Brasil, apesar de possuir o indígena como expoente genuinamente nacional, foi – e ainda é – atraída e induzida por uma faceta conservadora e excludente em relação à incorporação da cultura nativa e a consequente participação do índio como um ser social. Nesse âmbito, é importante destacar a ausência do “Capital social”, proposto por Robert Putnam, no sentido de validar um bem-estar e o posterior desenvolvimento harmônico da comunidade cívica. Logo, o reconhecimento e a aplicação dos direitos legais já propostos aos nativos e a união cidadã em busca de uma maior valorização do papel deles na conjuntura social são incontestáveis.

          Em grande parte do seu período histórico, o Brasil considerou os indígenas como o reflexo de uma comunidade atrasada e excessivamente incompatível, em sua forma bruta, com a vida cívica. Isso demonstra uma visão altamente preconceituosa que precisa ser abolida para alcançar-se o ápice sociocultural almejado. Historicamente, parece que apenas na 1ª fase do Romantismo brasileiro o índio teve realmente seu valor social comprovado. Porém, a Iracema de José de Alencar demonstra que teve vida curta e as belas poesias indígenas de Gonçalves Dias já não ecoam mais no silencioso salão da dita sociedade miscigenada brasileira.

          Em relação à representabilidade dos índios nas diferentes classes e camadas sociais, percebe-se a escassez de representantes político-sociais desse povo, tanto no processo eleitoral, quanto no assistencial. Assim, apesar da garantia dos direitos previstos pela Constituição em 1988, não há a efetivação deles e, consequentemente, deixa de existir uma valorização do índio como um elemento integrador da comunidade. por consequência, órgãos como a FUNAI carecem de uma “voz ativa” que possa levar à discussão projetos de inclusão da classe indígena e seu respectivo conhecimento cidadão.

          Nesse sentido, a efetivação do indígena como um ser social e possuidor de direitos torna-se de urgente importância. Desse modo, o Ministério Público deve fiscalizar a garantia desses direitos e, se necessário, punir penalmente àqueles que tentarem obstruir o exercício da inclusão indígena. Sob outra análise, a aliança entre ONG’s e a mídia para a divulgação da importância do reconhecimento da plurinacionalidade brasileira, a fim de mobilizar a população e mostrar que essa causa é, além de necessária para a harmonia social, uma legitimação da sociedade civil e democrática, são medidas imprescindíveis.

111

Revisão Particulares Turma Especial andré

NOTA DO ALUNO:

22222

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *