Temas prováveis para o ENEM 2016 (7)
   Luiz  André Medeiros  │     26 de outubro de 2016   │     13:36  │  0

Confira nessa tarde de quarta-feira o sétimo tema da nossa serie:

x-default

11111

Tese Principal – Educação e arte estão intimamente ligadas. Por meio da arte, o indivíduo é introduzido a novas realidades que outrora não conhecera e, depois, está apto a expressá-la mediante outras linguagens capazes de atingir e passar mensagens sociais aos mais diversos grupos, sendo, assim, importante instrumento de inclusão social.

VISÕES UNIVERSALISTAS

Argumento Histórico

          Uma primeira visão romântica e renascentista é a que associa a arte ao belo. Para a maioria das pessoas, a arte está ligada ao belo e, quando perguntamos o que se entende por essa área, os grandes mestres da Renascença (Leonardo da Vinci, Rafael, Michelangelo) são usados como referência.

Entendimento do Saber em Debate – Segundo essa concepção, as obras de arte da Renascença são vistas como belezas a serem contempladas e reproduzidas pelos alunos. E, ainda, a criação artística deve seguir rígidos padrões associados ao ideal de beleza, que, em verdade, é histórico e muda de sociedade para sociedade e ao longo do tempo.

Argumento Filosófico

          Para os gregos, a arte é uma forma de conhecimento humano, tal como as religiões, as ciências e a filosofia. Ao auxiliar o ser humano a conhecer seus mais elevados ideais, ela auxilia o exercício da virtude. A virtude, elevada ao mais alto patamar é a própria redenção do ser humano – é o afastamento definitivo da vida medíocre e vazia.

Entendimento do Saber em Debate – Trabalhar o entendimento de que, através da pintura, da música, das artes plásticas, do cinema, do teatro e da literatura, a arte é fundamental para formar o senso crítico, moldar a moral de uma época, provocar e instigar questionamentos a respeito da condição humana. A interação com a arte se dá necessariamente pelos sentidos, mas o efeito provocado não se restringe ao que empiricamente se verifica, uma vez que há diálogo com as experiências e habilidades cognitivas do indivíduo.

 

Argumento Sociológico

          A arte, no âmbito social, cumpre, no mínimo, duas funções: incentiva o indivíduo ao aperfeiçoamento e à virtude, promovendo uma sociedade melhor e demonstra à sociedade sua essência. Quanto mais informação, mais fácil fica de tomar uma decisão, e esse autoconhecimento social é fundamental para promover um desenvolvimento de acordo com as características e peculiaridades de um dado grupo.

Entendimento do Saber em Debate – Perceba a tese de que a arte tem como função assegurar a liberdade da expressão, promover o pleno desenvolvimento das manifestações artísticas, tornando-a rentável economicamente, sem concessões no conteúdo; e facilitar o acesso aos vários tipos de obra é de vital importância para a evolução da sociedade como um todo. A arte auxilia o ser humano a mudar o vazio da existência; emancipa–o de seus instintos e subordina-os à sua razão, o que aumenta a distância entre as pessoas e os animais irracionais.

Teses para o Desenvolvimento

1ª Tese – Estabelecer uma visão crítica.

          Através da arte, propagam-se novos modelos de papéis e estilos de vida. A arte está apta e nos torna aptos a conhecer diversas realidades mediante pessoas inseridas em diferentes contextos sociais, permitindo-nos, assim, ampliar o senso, a visão crítica e a integração em grupos sociais.

Construindo o Texto – Trabalhe a concepção de que a arte, mais que forma de expressão, deve ser vista como instrumento de inclusão social, contemplando e complementando o desenvolvimento de aprendizagens nas outras áreas do conhecimento – as diversas formas de educação e expressão artística podem tirar o jovem da situação de violência e criminalidade, introduzindo-o a uma nova realidade a ser captada e expressada por meio das mais diversas linguagens; consagra-se, assim, a função social da arte – cite exemplos de artes que se originaram na periferia como o hip-hop.

2ª Tese – Tratar a arte como inclusão social.

          Apesar de constantemente subvalorizada, vista como algo supérfluo ou até inútil, a arte é o pilar que sustenta o que há de humano em nós: nossa expressão, nosso olhar do mundo, nosso impulso em nos conectar com o mundo que reside em nós.

Construindo o Texto – Mostrar no texto que não precisa esperar por um cenário apocalíptico para tentar buscar na arte um refúgio, o absurdo cotidiano em que se está imerso já pede por uma ressignificação – precisa-se da arte e de quem se dedique a criá-la – especialmente em momentos de ruptura, pois quando as coisas parecem perder o rumo, as pessoas atingem níveis preocupantes de embrutecimento, e isso provoca uma perda de inclusão social – cite a reforma no ensino médio proposta pelo governo com a ideia de tirar artes do currículo.

SOLUÇÃO

          A importância da arte na vida das pessoas dá-se, principalmente, pelo fato de abrir a nossa mente e de fazer fluir o nosso pensamento, assim como tem uma grande importância social por integrar diversas pessoas com personalidades e características físicas diferentes dentro de um meio. Auxilia-nos na nossa comunicação, no nosso convívio, no nosso crescimento humano e social. Ela é extremamente importante no desenvolvimento de um povo, ela nos dá uma nova visão de mundo, de sociedade e expande a nossa criatividade. Afinal, tudo que existe é arte e é gerado por ela.

Detalhamentos

  • Investir, através de ações do Estado e da sociedade civil, em espaços para o desenvolvimento das artes, principalmente nos grandes centros urbanos mediante a redução de tributos às empresas.
  • Promover ações sociais de difusão, integração e acessibilidade a atividades artísticas desenvolvidas por grupos específicos, buscando alcançar as populações mais carentes e com a participação de entidades não governamentais.

Redação da aluna ANA LAURA OLIVEIRA

         Sob as concepções do filósofo alemão Arthur Schopenhauer, a arte é o único meio capaz de extrair a essência natural humana, por meio de manifestações musicais e artísticas que explanam sentimentos e desejos sobre a realidade. No mundo atual, essa apresenta-se em movimentos sociais que vinculam características diversas em torno de uma mensagem significativa em seu roteiro, com enfoque sobre o embelezamento e a expressividade dos artistas durante a atuação. Esse segmento deve ser incentivado no sentido de expandir os fenômenos culturais e preservá-los como identificadores naturais dos indivíduos – é essencial valorizar a arte como um entreposto para a inclusão social e incentivar a população a prestigiá-la com uma visão crítica.

          Na Grécia Antiga, muitos filósofos destacaram-se por seus projetos artísticos da época, como esculturas, pinturas, desenhos e algumas partituras – o que deu início à musicalidade, com posteriores criações de orquestras sinfônicas. Nessa lógica, essas práticas devem ser vistas como um entretenimento pela sociedade, em razão da inclusão de diferentes conjunturas em um determinado ambiente ao redor de uma apresentação de cunho reflexivo, seja crítico ou moral, seja cômico. Essa pauta precisa ser reconhecida pelas pessoas como forma de problematizar, de forma crítica, acontecimentos sociais, a fim de gerar conscientização coletiva.

          Desse modo, o objetivo final das cooperações culturais resulta na impulsão de um senso crítico mais amplo sobre a realidade, posto que as proposições trabalhadas refletem a tradução de princípios morais, de modo a conduzir as pessoas ao seu lado espiritual da busca pelo aperfeiçoamento de ideias e pensamentos que só conseguem avivar-se através do teatro. Apesar de muito importante no processo de construção social, essa esfera não dispõe de seu real valor e é, muitas vezes, ignorada pela população e pelo Estado: o incentivo às atribuições artísticas é necessário para configurar interação social e respeito à significação requerida em cada exposição.

          Com isso, é necessário cobrar do Estado o investimento em espaços mais acessivos, por meio da construção de ambientes interativos como teatros, praças e cinemas coletivos e no desenvolvimento das artes, com o intuito de promover maior inserção desse âmbito como um importante interventor do progresso sociocultural. Além disso, é fundamental conscientizar a população, por meio de projetos sociais que visem a difusão de práticas artísticas, como amostras musicais, eventos e jogos internos escolares, com a finalidade de incentivá-la sobre a virtude da arte como mediadora das maiores conquistas sociais já alcançadas.

 

ESPELHO DA REDAÇÃO DO SABER EM DEBATE

TEMA: O papel social da arte: desenvolvimento e inclusão social

COMP. I DEMONSTRAR DOMÍNIO DA NORMA CULTA 180 Demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios de convenção ou gramaticais: vírgula, pronome relativo e acentuação.
COMP. II COMPREENDER A PROPOSTA DE REDAÇÃO 200 Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta ÓTIMO domínio do texto dissertativo-argumentativo.
COMP. III CAPACIDADE DE SELECIONAR E ORGANIZAR AS INFORMAÇÕES 200 Apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, CONFIGURANDO AUTORIA, em defesa de um ponto de vista. É NECESSÁRIO MAIS PROGRESSÃO ARGUMENTATIVA.
COMP. IV DEMONSTRAR DOMÍNIO QUANTO AOS ELEMENTOS COESIVOS 180 Articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos. É necessário estar ciente dos três mecanismos coesivos: referencial, sequencial e lexical, PRINCIPALMENTE ESTA ÚLTIMA.
COMP. V APRESENTAR PROPOSTA DE INTERVENÇÃO 200 Elabora PERFEITA proposta de intervenção relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *