Temas prováveis para o ENEM 2016 (11)
   Luiz  André Medeiros  │     27 de outubro de 2016   │     20:32  │  0

          Postagem da noite de quinta-feira liberada para você que acompanha nosso blog. Confira mais uma de nossas propostas para o ENEM 2016:

x-default

1111

Tese Principal – A água é um recurso natural necessário para a manutenção da vida na terra, isto é, a ausência de água implica a extinção da vida no planeta. Por isso, o consumo desse recurso deve ser feito conscientemente para que se mantenha a qualidade e não se esgotem as reservas disponíveis. O consumo consciente é uma tendência e uma necessidade mundial e pode ser realizado a partir de ações simples, mas eficientes.

Visões Universalistas

Argumento Sociológico

          Ao pensar sobre os diversos riscos nas sociedades contemporâneas, o sociólogo inglês Anthony Giddens evidenciou um paradoxo importante: a maior parte dos riscos aos quais somos submetidos atualmente são resultado direto dos próprios avanços técnicos e científicos dos últimos dois séculos.

Entendimento do Saber em Debate – A revolução industrial e a produção em massa, as novas tecnologias de saúde, a migração para as áreas urbanas e a exploração intensiva dos recursos naturais possibilitaram às sociedades ocidentais capitalistas produzir e distribuir riquezas como nunca antes na história da Humanidade – trabalhe a ideia de que vivemos mais tempo, comemos melhor e temos acesso a mais bens de consumo do que nossos antepassados.

Argumento Atual

          Oitava economia do mundo e detentor de cerca de 20% da água doce do planeta, o Brasil ocupa uma das últimas posições em saneamento básico. Perto de 5 milhões de habitantes ainda não têm banheiro em casa. Só metade da população tem acesso à rede de coleta de esgoto, enquanto 61% dos resíduos, sem tratamento, são despejados diariamente em rios, lagos e outras áreas.

Entendimento do Saber em Debate – Trabalhe a concepção universalista de que um quinto dos brasileiros não recebe água tratada e 13% das casas dependem de açudes, caminhões-pipa ou mananciais nas proximidades. Para piorar, a escassez é um drama cada vez mais frequente no cotidiano das grandes cidades.

Argumento Econômico

          Para universalizar os serviços de água e esgoto, seriam necessários investimentos de cerca de 300 bilhões de reais em 20 anos, ou 15 bilhões anuais até 2033, como estabelece o Plano Nacional de Saneamento, meta considerada difícil de ser atingida até pela própria União, pois o investimento público e privado não passa de cerca de 10 bilhões de reais por ano.

Entendimento do Saber em Debate – Mostre, no texto, que reverter o quadro exigirá a união de esforços entre governos e empresários, além da conscientização dos consumidores. A crise hídrica expôs os gargalos de abastecimento no País – a oferta é abundante na Região Norte, distante dos grandes centros consumidores do Sul e Sudeste. A racionalização do uso, equipamentos mais eficientes e a melhora da oferta ganham importância, assim como o planejamento urbano e a política de uso e ocupação do solo – destaque o fator cultural de que há outro problema: a população não enxerga a água como um bem escasso e que tende a se tornar vez mais caro.

Teses Para o Desenvolvimento

1ª Tese – Desenvolver um consumo consciente.

          No Brasil, a falta de chuvas e a escassez de água comprometem o funcionamento de outros sistemas: a geração de energia elétrica, nuclear e térmica demanda água e, em sua ausência, causam transtornos que vão desde blackouts a necessidade de racionamentos, entre outros.

Construindo o Texto – Trabalhar a ideia de que o consumo consciente é uma tendência e necessidade mundial, e pode ser realizado a partir de ações simples como fechar a torneira enquanto escova os dentes, diminuir o tempo do banho, não utilizar mangueiras para lavar calçadas ou automóveis. Com a escassez da água, quando se utiliza muito em um local, é provável que falte em outro. Por isso, mostre, no texto, que o consumo consciente deve ser uma ação coletiva feita com discernimento, para que não se deteriore a qualidade ou até esgotem as reservas hoje disponíveis.

2ª Tese – adotar padrões mais rígidos de consumo.

          Os países mais ricos atuam em quatro áreas: infraestrutura, incentivos, conscientização e regulamentação. Mapeamentos regulares identificam os vazamentos, auditorias grátis levantam a qualidade do sistema de irrigação, a venda de eletrodomésticos eficientes tem desconto ( aproveite esses fatos como solução). A adoção de padrões mais rígidos no consumo de água das novas construções, comerciais e residenciais e a proibição da irrigação de jardins cinco dias por semana estão entre as regras – Nova Iorque tem uma política de aquisição de terras em volta da área urbana para preservar os mananciais, isso é mais barato do que investir em obras de grandes reservatórios ou sistemas de abastecimento.

Construindo o Texto – Destacar exemplos comparativos como o de Cingapura, uma cidade-Estado com apenas 710,2 km² e população de 5,4 milhões de habitantes, que resolveu o problema de forma criativa. A dependência da água importada da Malásia levou o país a buscar a autossuficiência. Hoje, a Reciclagem já atende a 30% do consumo, a dessalinização responde por outros 10% e o reuso da água da chuva por mais 10%.

SOLUÇÃO

          Privilegiado por possuir 20% da água doce encontrada no planeta, embora grande parte das reservas esteja na Bacia Amazônica, o Brasil terá desafios crescentes para abastecer sua população. As soluções dependem do planejamento integrado nas regiões metropolitanas, adoção de novas tecnologias, redução de perdas nas redes de distribuição e choque de gestão nas concessionárias. A água se transforma, pouco a pouco, em um bem escasso. As empresas são obrigadas a captá-la em locais cada vez mais distantes dos centros consumidores, o que aumenta a necessidade de investimentos e exige a criação de uma nova realidade tarifária para o segmento.

Detalhamentos

  • Realizar campanhas pontuais de conscientização, tanto por via Estatal quando por parte da sociedade civil, sobre a importância e a necessidade do consumo consciente dos recursos hídricos;
  • Trabalhar a questão do consumo consciente com crianças e adolescentes em idade escolar, capacitando–os para aplicar e fiscalizar ações desse consumo em suas casas;
  • Garantir, por via Estatal, a boa gestão dos recursos hídricos para assegurar a disponibilidade e a qualidade da água para a geração atual e para as gerações futuras.

 

Redação do aluno JOÃO VICTOR CASTRO VILELA

          A Constituição estabelece que o acesso aos recursos hídricos é um direito fundamental para o bem-estar do cidadão. A apropriação privada e a gestão pública inadequada, todavia, lesam as prerrogativas constitucionais  e exaurem esse bem natural. O raciocínio capitalista, que manipula os bens gerais e exige uma postura privilegiadora do Estado, corrompe a promoção de políticas coletivistas/biológicas, causando danos sociais e ambientais.

          Os congressos sobre o meio ambiente da ONU emergiram a tônica da utilização balanceada da água. Em face de um mundo industrializado, poluidor e envolto de uma dinâmica exploratória a necessidade do cuidado das relações do homem com a natureza é urgente. Dessa forma, a junção das políticas governamentais com as práticas econômicas estão desestruturando a dinâmica hídrica, trazendo malefícios às pessoas e impedindo o surgimento de diálogos construtivos entre os diversos segmentos sociais e o Estado para a conscientização da preservação da água.

          Como o povo é excluído das pautas do Governo, as atitudes abusivas das empreiteiras privadas e públicas usam o seu poder para angariar lucros. Porém, as teses do sociólogo Robert Putnan esboçam que o “saber dialógico”, ou seja, o debate entre os cidadãos e seus representantes fomentam mudanças positivas na sociedade. A participação popular, portanto, é capaz de reverter a unilateralidade estatal – que beneficia o lucro empresarial – e, assim, trazer a prática solidária no consumo hídrico.

          Por tudo isso, é primordial que a sociedade civil organizada exija do Estado a máxima fiscalização dos dejetos industriais, mediante a ação de fiscais deferais nas indústrias em todo o território nacional, visando à sustentabilidade dos rios e lagos. Ademais, cabe ao Ministério da Educação o incentivo à economia de água dos alunos de ensino fundamental e médio, por meio de palestras com ambientalistas, biólogos e geógrafos sobre o uso racional dos meios hídricos, objetivando a formação do senso coletivista dos indivíduos.

 

ESPELHO DA REDAÇÃO DO SABER EM DEBATE

TEMA: O GERENCIAMENTO E O CONSUMO CONSCIENTE DOS RECURSOS HÍDRICOS NO BRASIL.

COMP. I DEMONSTRAR DOMÍNIO DA NORMA CULTA 180 Demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios de convenção ou gramaticais: vírgula, pronome relativo e acentuação.
COMP. II COMPREENDER A PROPOSTA DE REDAÇÃO 200 Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta ÓTIMO domínio do texto dissertativo-argumentativo.
COMP. III CAPACIDADE DE SELECIONAR E ORGANIZAR AS INFORMAÇÕES 200 Apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, CONFIGURANDO AUTORIA, em defesa de um ponto de vista. É NECESSÁRIO MAIS PROGRESSÃO ARGUMENTATIVA.
COMP. IV DEMONSTRAR DOMÍNIO QUANTO AOS ELEMENTOS COESIVOS 180 Articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos. É necessário estar ciente dos três mecanismos coesivos: referencial, sequencial e lexical, PRINCIPALMENTE ESTA ÚLTIMA.
COMP. V APRESENTAR PROPOSTA DE INTERVENÇÃO 200 Elabora PERFEITA proposta de intervenção relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *