Temas prováveis para o ENEM 2016 (9)
   Luiz  André Medeiros  │     27 de outubro de 2016   │     6:54  │  0

Nona temática liberada no nosso blog! Confira esse excelente texto com grandes chances de estar presente na prova de redação do ENEM:

x-default

111

Tese Principal – O analfabetismo funcional, situação vivida por cerca de 13 milhões de brasileiros, caracteriza-se pelo não desenvolvimento das habilidades de leitura, escrita, interpretação de texto e operações matemáticas compatíveis com a escolaridade de um indivíduo. Quem se encontra nesta situação tem seu desenvolvimento pessoal, social e profissional comprometido geralmente por fatores ligados à exclusão, descriminação e dificuldade de comunicação.

VISÕES UNIVERSALISTAS

Argumento Econômico

          O processo deficiente de formação política brasileira leva ao problema do analfabeto midiático – para o literato alemão Bertold Brecht, este não percebe que o enfoque pode ser uma escolha construída para chegar a conclusões que seriam diferentes se outras fontes fossem contatadas ou os jornalistas narrassem os fatos de outro ponto de vista.

Entendimento do Saber em Debate – Defender a tese Brechtiana de que  analfabeto midiático imagina que tudo pode ser compreendido sem o mínimo de esforço intelectual. Não se apoia na filosofia, na sociologia, na história, na antropologia, nas ciências política e econômica – para não estender demais os campos do conhecimento – para compreender minimamente a complexidade dos fatos. Sua mente não absorve tanta informação, e ele prefere acreditar em “especialistas” e veículos de comunicação comprometidos com interesses de poderosos grupos políticos e econômicos.

 

Argumento Atual

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação a Ciência e a Cultura (Unesco), analfabeto funcional é a pessoa que sabe escrever seu próprio nome, assim como ler e escrever frases simples, efetua cálculos básicos, mas é incapaz de interpretar o que lê e de usar a leitura e a escrita em atividades cotidianas, dificultando seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Entendimento do Saber em Debate – Mostrar que o analfabeto funcional não consegue extrair o sentido das palavras, colocar ideias no papel por meio da escrita, nem fazer operações matemáticas mais elaboradas, o que leva ao entendimento menor da realidade vivida

Argumento Sociológico

          O sociólogo francês Émile Durkheim acreditava que a sociedade seria mais beneficiada pelo processo educativo. Para ele, “a educação é uma socialização da jovem geração pela geração adulta”. E quanto mais eficiente for o processo, melhor será o desenvolvimento da comunidade em que a escola esteja inserida.

Entendimento do Saber em Debate – Nessa concepção durkheimiana, as consciências individuais são formadas pela sociedade. A construção do ser social, feita em boa parte pela educação, é a assimilação pelo indivíduo de uma série de normas e princípios – sejam morais, religiosos, éticos ou de comportamento – que baliza a conduta do indivíduo num grupo. O homem, mais do que formador da sociedade, é um produto dela – trabalhe a tese de que, nesse sentido, o Estado é responsável pela formação social, e isso deve ser uma obrigação.

Teses para o Desenvolvimento

1ª Tese – Diminuir a disparidade social.

          A exclusão, a discriminação e a dificuldade de comunicação são fatores que sustentam, hoje, o analfabetismo funcional que compromete o desenvolvimento pessoal, social e profissional do indivíduo.

Construindo o Texto – Trabalhar a ideia de que a concepção e a instalação de novos aparatos pedagógicos e linhas de aprendizagem reformuladas. Reforce a noção, em seu texto, de que é necessária a intensificação do ensino a distância como um atributo fundamental a estudantes que anseiam certificação técnica, principalmente para aqueles que acham que não se enquadram mais no ensino tradicional, dentro de sala de aula, ou que se sentem intimidados em estudar na companhia de outros alunos.

2ª Tese – Melhorar a qualidade do sistema educacional.

          Esses índices tão altos de analfabetismo funcional devem-se à baixa qualidade dos sistemas de Ensino público, ao longo de décadas – um amplo conjunto de medidas é necessário para reverter essa situação no Brasil. Maior abrangência de programas sociais que envolvam distribuição de renda, valorização de Professores e incentivos aos estudos são algumas das medidas necessárias.

Construindo o Texto – Para melhorar esse quadro, precisamos impulsionar, nas Escolas, políticas públicas em que  devam atender à diversidade, através de planos de ação que valorizem as habilidades e potencialidades de cada um. Ou seja, identificar o que cada um tem de potencial, em que pode colaborar com as experiências. Trabalhar a ideia da motivação dos Alunos, dando oportunidade a estes – sem deixar, é claro, de levar em conta a realidade social em que cada um vive.

SOLUÇÃO

          A modalidade de ensino à distância – EAD apresenta-se como alternativa para a redução do analfabetismo funcional uma vez que chega a alcançar locais mais distantes do país, adequando-se às necessidades do aluno através do oferecimento de um ensino personalizado – utilize como mobilizadores o Estado e a entidades não governamentais (ONGs).

Detalhamentos

  • Idealizar e instalar novos aparatos pedagógicos para reformular os métodos de ensino capazes de reduzir o analfabetismo funcional;
  • Investir na modalidade de ensino a distância – EAD como forma de garantir o acesso à educação àqueles que, por algum motivo, não mais se enquadram no sistema de ensino tradicional;
  • Extrapolar a visão tecnicista de alfabetização através do letramento, ou seja, ensinar a ler e a escrever dentro de um contexto de realidade da vida do aluno, designando práticas de leitura e escrita;
  • Realizar o letramento com crianças em idade escolar e incentivá-las às práticas de escrita e leitura.

Redação da aluna Ana laura

            A educação pública no Brasil enfrenta uma grave falta de investimentos e de qualificação profissional, por descaso do Estado, o que reflete em números alarmantes no tocante ao aprendizado sistemático dos alunos e os limita a capacidade de raciocínio. Por essa razão, o analfabetismo funcional já ultrapassa mais da metade da população brasileira, que não dispõe de uma base educativa capaz de coibir esse problema e cria, dessa maneira, indivíduos conformados e debilitados numa sociedade cada vez mais individualista e competitiva. Assim, é fundamental incentivar a consciência político-social na população, com seu poder de voto, e cobrar ao Estado investimentos na base educacional e na qualificação de professores.

            Conforme o entendimento do sociólogo francês Émile Durkheim, a consciência coletiva é responsável por unir critérios ideológicos individuais em torno de uma causa social, ao passo que assemelha suas diferenças. Nessa lógica, a população torna-se o principal objeto de transformaçãono ato de votar, democraticamente, em pessoas que acreditam ser merecedoras de sua liderança, com o trabalho de realizar suas necessidades. Embora esse seja o melhor método de modificar, positivamente, as atribuições políticas na sociedade, não tem sua devida importância para a maioria, o que converge numa crise moral, em virtude da descrença política desses indivíduos.

            Os índices de escolaridade no Brasil transmitem uma perspectiva de lento desenvolvimento, posto que os investimentos direcionados a esse segmento não têm sua devida proporção. É notório que essa dificuldade presume-se numa parcial displicência do Estado, que permanece omisso em relação às políticas de combate ao analfabetismo, o que agrava níveis nacionais que já chegam à marca dos 35 milhões, segundo dados do IBOPE, de 2005. A aplicação de recursos para a educação implica não apenas em uma melhor qualificação de profissionais, mas também em um método didático mais amplo que impulsione os estudantes à uma inserção social mais consciente.

            Com isso, a consciência social deve ser impulsionada pelos professores e pelos programas educativos mediados pelo governo, por meio da compreensão da importância do votoe da mobilização social em torno de mudanças cooperativas, com o fito de inibir o analfabetismo no país. É, também, importante, responsabilizar o Estado pela automatização do ensino, o que o torna promovedor da inserção de um métodovasto de capacitaras relações em sociedade, com a criação de programas sociais inclusivos que objetivem valorizar professores, incentivar os estudos, distribuir de forma mais equitativa a renda, para possibilitar uma educação mais completa, com a exigência de uma melhor qualificação de educadores e de maiores investimentos nas escolas.

 

ESPELHO DA REDAÇÃO DO SABER EM DEBATE

Tema: O analfabetismo funcional diminui o desenvolvimento no Brasil?

COMP. I DEMONSTRAR DOMÍNIO DA NORMA CULTA 180 Demonstra bom domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios de convenção ou gramaticais:, vírgula e acentuação.
COMP. II COMPREENDER A PROPOSTA DE REDAÇÃO 200 Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta EXCELENTE domínio do texto dissertativo-argumentativo. É PRECISO FIDELIZAR A ESTRUTURA.
COMP. III CAPACIDADE DE SELECIONAR E ORGANIZAR AS INFORMAÇÕES 200 Apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, CONFIGURANDO AUTORIA, em defesa de um ponto de vista.
COMP. IV DEMONSTRAR DOMÍNIO QUANTO AOS ELEMENTOS COESIVOS 180 Articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos. É necessário estar ciente dos três mecanismos coesivos: referencial, sequencial e lexical.
COMP. V APRESENTAR PROPOSTA DE INTERVENÇÃO 200 Elabora PERFEITA proposta de intervenção relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *