Temas prováveis para o ENEM 2016 (14)
   Luiz  André Medeiros  │     28 de outubro de 2016   │     20:14  │  0

Décima quarta temática liberada nessa noite de sexta-feira em nosso blog. São postagens diárias para você, que está nos últimos passos da preparação para o ENEM, estar sempre em dia com o melhor conteúdo! Confira a seguir o tema dessa noite:

x-default

1111

Tese Principal – Atualmente, os subsídios públicos concedidos para a mobilidade motorizada individual são muito superiores àqueles concedidos para o transporte coletivo e para a mobilidade não-motorizada. Com o crescimento da frota de automóveis, proporcionalmente aumentam a poluição atmosférica, a apropriação privada do espaço público, o tempo perdido em congestionamentos, as fatalidades de trânsito e os gastos com saúde pública, provocando a diminuição da qualidade de vida da maioria dos cidadãos – a falta de planejamento e de infraestrutura adequadas reprimem o uso da bicicleta como meio de transporte.

Visões Universalistas

Argumento Jurídico

          A Política Nacional de Mobilidade Urbana estabelece como fundamento a ideia de: acessibilidade universal, desenvolvimento sustentável das cidades, nas dimensões socioeconômicas e ambientais, equidade no acesso dos cidadãos ao transporte público coletivo, segurança nos deslocamentos das pessoas.

Entendimento do Saber em Debate – Trabalhe com a concepção de que suas diretrizes estabelecem: a prioridade dos modos de transportes não motorizados sobre os motorizados e dos serviços de transporte público coletivo sobre o transporte individual motorizado; a integração entre os modos e serviços de transporte urbano; a mitigação dos custos ambientais, sociais e econômicos dos deslocamentos de pessoas e cargas na cidade; o incentivo ao desenvolvimento científico-tecnológico e ao uso de energias renováveis e menos poluentes.

 Argumento Econômico

          As transformações do ecossistema acontecem rapidamente no cenário mundial, o que colabora para os grandes impactos sofridos pela natureza, causando esgotamento de recursos renováveis na atmosfera, nas águas, nos solos e extinguindo espécies de seres vivos. Os problemas ambientais irreversíveis são basicamente potencializados pelas emissões de dióxido de carbono, que alteram a atmosfera da Terra, influenciando nas mudanças climáticas que tendem a ameaçar a sobrevivência das espécies.

Entendimento do Saber em Debate – Trabalhe a concepção de que o império do veículo automotor individual está baseado em um investimento vultoso em propaganda, e que toda a sociedade “civilizada” está num processo de sedentarismo crescente, é possível antecipar os entraves à lei da política de mobilidade urbana sustentável, pois não se está falando de ideologia, mas em modificar hábitos de vida.

Argumento Sociológico

          Políticas públicas sociais são necessários para integrar a estética da cidade aos lugares de lazer e bem-estar da população. O lazer e a qualidade de vida foram incluídos entre os direitos fundamentais humanos pelas Nações Unidas em 1948. Com as transformações do perímetro urbano, os valores da sociedade também acabam por transformar suas relações de comportamento em relação à saúde e à vivência urbana.

Entendimento do Saber em Debate – Além das relações dos cuidados com o corpo em questão da saúde, existem outras questões, como a sobrevivência. Essa tendência global do viver “slow” transforma os estilos de vida, os espaços públicos e o consumo. À medida que as pessoas desaceleram, adquirem melhor qualidade de vida e consomem os espaços públicos para a interação social e lazer, o que faz com que as políticas públicas reorganizem esses espaços e fortaleçam a interação social.

Teses para o Desenvolvimento

1ª Tese – Promover a cultura da sustentabilidade.

          As mudanças nas relações em sociedade devem se modificar e se qualificar. Nessa perspectiva, torna-se possível enfatizar que são necessários estratégias que levem em conta o desenvolvimento sustentável.  É importante que cada indivíduo contribua para o processo de mudança e de aprendizagem social sustentável, com a promoção de inovação por grupos autorais e redes de projeto mais abertas e flexíveis, que podem fortalecer a sustentabilidade.

Construindo o Texto – Para tanto, é necessário que haja a promoção da cultura da sustentabilidade, com a bicicleta como signo de mudança cultural dentro da área central da cidade e, assim, potencializar a segurança, a economia, a saúde pública, a vida em comunidade e o fortalecimento do ambiente limpo, visando à inovação social incremental por meio da cultura da bicicleta.

2ª Tese – Modificar a cultura narcisista do automóvel.

          A ideia da “sociedade em crise” provém da visão vinculada ao crescimento da população da cidade e o desenvolvimento de uma política que busca ampliar as vias de rolamento para maior consumo de bens meios de transporte próprios   individuais. Os mecanismos de sedução da população que permeiam o narcisismo individual são absorvidos por bens materiais como os automóveis.

Construindo o Texto – Esse cenário adverte que há a possibilidade de melhorar o Produto Interno Bruto (PIB) nacional pelo maior índice de consumo de veículos automotores e privilegiar o conforto e a individualismo na sociedade. A visão da “sociedade em crise” também se dá pelo aumento da dispersão dos gases poluentes na atmosfera, a poluição ao gerar intenso trânsito e congestionamento dentro da cidade, também na promoção da não educação de todos que compartilham as vias urbanas.

Solução

          Dessa forma, descobriu-se como principal viés para a mudança cultural que a educação ou a reeducação da sociedade é obrigatória para que haja a troca de valores e melhor compreensão do objeto – a bicicleta -, inserido no território urbano da cidade.  Iniciativas urbanas das ONGs, de trabalhar em redes de projeto em conjunto com múltiplos atores envolvidos de diferentes áreas de atuação possibilitarão a perpetuidade da cultura da sustentabilidade a partir da bicicleta inserida na sociedade. Também se observa que a educação para o trânsito deve ser adotada como uma potencialidade de ação para as organizações. Quando implantada na educação fundamental como possibilidade de gerar frutos futuros, poderá servir como base de ética e civismo para estimular a cultura do cuidado com as coisas, pois o trânsito fará parte da vida das cidades independentemente do cenário que se constituirá.

Detalhamentos

  • Redução da velocidade no perímetro central para que tenha mais fluidez e segurança para todos os constituintes do trânsito;
  • Conceder, de fato, prioridade, nas políticas públicas relativas à mobilidade urbana, aos modos não-motorizados, ao transporte coletivo e à integração entre eles, dessa forma favorecendo a humanização do espaço público e a democratização do acesso à cidade;
  • Criar programa visando à desoneração tributária da cadeia produtiva da bicicleta, suas partes e peças, bem como desenvolver uma política industrial para o setor em todo o território nacional;
  • Instalar bicicletários adequados em todos os prédios públicos federais, de todas as cidades brasileiras, quando houver espaço disponível, suprimindo, se necessário, vagas de estacionamento de automóveis.

Redação da aluna KELIANY ACIOLI

          Uma das diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, instituída em 2012, estabelece a prioridade do transporte não motorizado sobre o motorizado, a fim de contribuir para a melhoria da acessibilidade coletiva. Porém, no Brasil, o desrespeito com o usuário das ciclovias (quando existem) ainda é significativo. Com isso, é importante eu as pessoas se conscientizem de que as pessoas se conscientizem de que o individualismo, além de desestabilizar as relações sociais, pode desequilibrar o meio ambiente em eu vivem.

          Já na década de 1980,  em coadunação ao artigo 21 da Constituição Federal, havia a correlação entre a qualidade do transporte e o desenvolvimento urbano. Hoje, devido ao crescimento populacional, esse desenvolvimento poderia estar ligado à sustentabilidade ecológica, uma vez que, com o aumento do número de carros circulantes, há mais gases poluentes sendo emitidos na atmosfera. Nessa lógica, uma cidade estruturada seria aquela eu adequasse a mobilidade urbana ao desenvolvimento sustentável, em prol um meio ambiente socialmente saudável para seus habitantes.

          Todavia, a sociedade atual ainda cultua a posse de bens materiais como parâmetro de se obter status, no caso, ter ou não um carro. A partir daí, cria-se um individualismo exibicionista, eu vai de encontro à ideologia durkheimiana, à medida eu coloca um comportamento individual específico em evidência, e eu, por sua vez, altera o modo coletivo de se relacionar. Contudo, esse fator pode ser diferente, caso seja dada a devida importância ao cumprimento das leis supracitadas, que, apesar de terem esse propósito, parecem funcionar apenas em um mundo ideal, utópico.

          Logo, é dever do Estado investir em uma infraestrutura cicloviária, a fim de garantir a humanização do espaço público, bem como a democratização do acesso urbano, instalando bicicletários e ciclofaixas, por exemplo. à sociedade, cabe se reeducar quanto à inversão de valores existente, participando mais ativamente de projetos, ONG´s voltadas à sustentabilidade, a fim de compreender, por exemplo, a função social do “objeto” bicicleta na busca por um meio ambiente mais equilibrado.

ESPELHO DA REDAÇÃO DO SABER EM DEBATE

TEMA: Os ciclistas e o seu direito de ir e vir ameaçado

 

COMP. I DEMONSTRAR DOMÍNIO DA NORMA CULTA 180 Demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções aqui encontrados e não reincidentes não prejudicaram a construção gramatical do texto, porém é importante observar o procedimento da regência.
COMP. II COMPREENDER A PROPOSTA DE REDAÇÃO 200 Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo.
COMP. III CAPACIDADE DE SELECIONAR E ORGANIZAR AS INFORMAÇÕES 200 Apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, CONFIGURANDO AUTORIA, em defesa de um ponto de vista.
COMP. IV DEMONSTRAR DOMÍNIO QUANTO AOS ELEMENTOS COESIVOS 180 Articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos. É necessário estar ciente dos três mecanismos coesivos: referencial, sequencial e lexical.
COMP. V APRESENTAR PROPOSTA DE INTERVENÇÃO 200

Elabora muito bem proposta de intervenção relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto, com todas as etapas de detalhamento bem visíveis.

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *