Temas prováveis para o ENEM 2016 (21)
   Luiz  André Medeiros  │     31 de outubro de 2016   │     6:42  │  0

Vigésimo primeiro tema liberado aqui no blog Saber em Debate nessa manhã de segunda-feira. Faremos, nessa reta final até o dia da prova, atualizações constantes aqui em nossa página. Por isso, não deixem de conferir durante todo o dia a nossa página no Facebook, local onde faremos a postagem dos links que levarão até os temas que serão aqui lançados. Confira agora a temática:

x-default

11111

Tese Principal – A meritocracia estabelece que, somente em igualdade de condições, é possível exigir ou explicar pelo empenho pessoal o resultado de qualquer coisa. É exatamente aí que a ideologia jurídica cumpre seu papel nefasto, ao apresentar todos os que vivem em dado país ou como uma reunião de indivíduos (cidadãos!), livres (juridicamente) e iguais (formalmente).

Visões Universalistas

Argumento Histórico

          Até a Idade Média, o nascimento determinava o lugar social de cada pessoa. Um filho de nobre tinha posições sociais (como cargos na estrutura do Estado ou títulos de nobreza) garantidas pelo simples fato de ter nascido em uma família nobre.

Entendimento do Saber em Debate – Mostre que na história nenhuma época foi capaz de permitir ascensão social – um filho de um trabalhador do campo jamais conseguiria tais títulos ou cargos. A ascensão social era algo que nem estava no imaginário das pessoas.

Argumento filosófico

          O filósofo grego Platão propõe em seu livro, A República, um modelo de educação que possibilidade a todos igual acesso à educação, independentemente da classe social a que pertença cada indivíduo por nascimento. Em sua formação, as crianças iriam passando por processos de seleção, ao longo dos quais seriam destinadas a uma das três classes que formam a cidade.

Entendimento do Saber em Debate – Essa ideia mostra que os mais aptos continuariam seus estudos até o ponto mais alto desse processo, a fim de se tornarem sábios e, assim, habilitarem-se a administrar a cidade – essa concepção política de Platão é aristocrática, porque supõe uma massa de pessoas incapazes de dirigir a cidade e apenas uma pequena parcela de sábios que estariam aptos para exercer o poder político –  seria uma elite que se distinguiria pelo saber.

Argumento Sociológico

          Com o fim desse sistema social, a ascensão da burguesia e o surgimento da democracia moderna, garantiu-se legalmente o direito de qualquer um, independentemente da posição social de seus familiares, poder obter um status elevado. Uma filha de um trabalhador rural pode, por direito, chegar a ser Presidente da República, juíza ou professora universitária. Dessa noção, consolidou-se a crença de que, para ascender socialmente, basta que nos esforcemos.

Entendimento do Saber em Debate – Entre os grandes problemas da Desigualdade Social, estão a má distribuição de renda e da administração dos recursos; a lógica do mercado capitalista (consumo, mais-valia) e a falta de investimento nas áreas sociais, culturais, saúde e educação, além de oportunidades de trabalho – isso leva a sérias consequências como a pobreza, a fome, a desnutrição e a mortalidade infantil, além do aumento das taxas de desemprego e do atraso no progresso da economia do país, levando ao aumento dos índices de violência e criminalidade

Teses Para o Desenvolvimento

1ª Tese – modificar os valores culturais para a aceitação da meritocracia.

          Apontar a falácia mais frequente em toda discussão sobre meritocracia. Defender a meritocracia não significa ser cego para os problemas sociais, odiar pobres ou achar que se está acima dos outros, pelo contrário.

Construindo O Texto – Comprovar a tese de que a questão é ter lucidez suficiente para saber que o caminho para uma sociedade justa, próspera, com oportunidades e direitos para todos, passa por valores culturais como trabalho, dedicação, seriedade e competência. Passa por educação infantil, saúde na primeira infância e acesso à cultura e ao lazer – tudo isso gera pessoas que vão ter orgulho de fazer por merecer.

2ª Tese – apresentar a ideia de justiça como igualdade de oportunidades.

          Por esse conceito, uma sociedade justa é aquela que dá a todos os seus membros as mesmas oportunidades. Basicamente, uma sociedade em que todos tenham direito à educação, de verdade e de qualidade, e onde a economia seja suficiente para que não faltem empregos, ou formas de se viver do seu trabalho. É bem utópico, mas, ao menos, algo mais concebível que a igualdade de recursos.

Construindo o Texto – Trabalhe com a ideia de que a velocidade com que a pobreza declina depende da taxa de crescimento da renda dos mais pobres. Por sua vez, essa taxa depende do crescimento econômico do país e da redução no grau de desigualdade. Desse modo, parte da acentuada queda da pobreza dos últimos anos deve-se ao crescimento econômico e outra parte não teria ocorrido se não fosse a redução da desigualdade social.

Solução

          É preciso que ampliemos a capacidade de nossas instituições gerarem igualdade de oportunidades. Isso é extremamente necessário na Educação Básica, um momento da vida em que a sociedade determina que todos tenham os mesmos direitos educacionais. O período da escolaridade obrigatória não combina com a ideia de que os resultados de aprendizagem e a trajetória escolar devam depender do esforço individual. Deve, sim, depender do esforço institucional, do Estado. Quando todos os jovens, ao deixarem a Educação Básica, tiverem galgado um patamar considerado adequado, aí então será mais justo falar em mérito para tratar do acesso às suas futuras oportunidades.

Detalhamentos

  • Proporcionar segurança alimentar e nutricional – a alimentação é um dos mais importantes no país, pelo nível de pobreza. Construir uma política de alimentação adequada às necessidades do país é um dos maiores desafios do governo – integrar políticas que viabilizam acesso da população a uma alimentação de qualidade, com regularidade e quantidade adequada mediante recursos de loterias do Estado;
  • Criar programas de inclusão socioprodutiva das famílias e pessoas que estão fora do mercado de trabalho. São ações voltadas à geração de trabalho e renda e à inserção socioeconômica – construir uma pactuação com os estados no sentido do cumprimento de metas para o desenvolvimento com inclusão social. E, sobretudo, esse compromisso possibilita a elaboração de metas voltadas para a geração de trabalho e renda, visando à autonomia e à emancipação das famílias atendidas pelos programas sociais de transferência de renda.

Redação da aluna ANA CAROLINA LYRA

          Com a enunciação da Declaração de Direitos do Homem e do Cidadão, todos seriam iguais perante a lei. Entretanto, a materialização desse conceito se mostra falha na medida em que as sociedades ainda não marcadas por desigualdades. Assim, só se pode falar em meritocracia quando a justiça favorecer a equidade de oportunidades a todos.

          A aceitação da meritocracia depende principalmente da modificação de valores culturais. Com o surgimento da democracia moderna, a possibilidade de ascensão social foi alcançada, daí consolidou-se a ideia de eu isso dependeria somente do espaço de cada um para acontecer. Porém, é preciso eu as pessoas tenham senso crítico para entender que empenho pessoal não é suficiente em uma sociedade com tamanha desigualdade e eu os problemas sociais devem ser solucionados para a comunidade ser justa.

          Além disso, a ideologia jurídica deve cumprir o seu papel de prover liberdade e igualdade aos cidadãos. Sob a égide platônica, o Estado deveria fornecer um modelo de educação eu possibilitasse o igual acesso a ela. Dessa maneira, as pessoas seriam escolhidas somente pelas suas qualificações, independentemente de suas classes sociais; desse modo, a elite se formaria pelo saber e cresceria o orgulho de fazer por merecer.

          Para a consolidação dessas mudanças, é imprescindível o esforço do Estado no pilar mais importante de uma nação, a educação. Para soluções a curto prazo, são necessárias as manutenções de políticas de inclusão, como as cotas estudantis para alunos de baixa renda e provenientes de escolas públicas. A longo prazo, é dever dos governantes favorecer educação democrática e não sucateada a partir da melhora nas estruturas de scolas, aplicação de impostos para inovações nos métodos de ensino e aumentar salários para os professores.

 

ESPELHO DA REDAÇÃO DO SABER EM DEBATE

TEMA: Os ideais meritocráticos e a desigualdade de oportunidades

COMP. I DEMONSTRAR DOMÍNIO DA NORMA CULTA 180 Demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro4. Desvios de convenção ou gramaticais: pontuação e regência.
COMP. II COMPREENDER A PROPOSTA DE REDAÇÃO 200 Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo.
COMP. III CAPACIDADE DE SELECIONAR E ORGANIZAR AS INFORMAÇÕES 200 Apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, CONFIGURANDO AUTORIA, em defesa de um ponto de vista.
COMP. IV DEMONSTRAR DOMÍNIO QUANTO AOS ELEMENTOS COESIVOS 180 Articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos. É necessário estar ciente dos três mecanismos coesivos: referencial, sequencial e lexical. A COESÃO SEQUENCIAL É A MAIS PERCEBIDA EM TODO O TEXTO, PORÉM É PRECISO NÃO MANTER AS MESMAS ESTRATÉGIAS COESIVAS.
COMP. V APRESENTAR PROPOSTA DE INTERVENÇÃO 200 Elabora MUITO bem proposta de intervenção relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Perceba que os objetivos a serem alcançados com o que a aluna propõe não caem em senso comum.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *