Temas prováveis para o ENEM 2016 (22)
   Luiz  André Medeiros  │     31 de outubro de 2016   │     13:07  │  0

Segunda postagem dessa segunda-feira, aqui no blog Saber em Debate. Estamos produzindo a todo vapor nosso conteúdo e disponibilizando aqui neste portal para que você, acompanhante do blog, esteja antenado com o melhor conteúdo até o ENEM. Confira agora o tema:

x-default11111

Tese Principal – A ciência existe e trabalha na busca de soluções racionais para explicar e solucionar os problemas da sociedade, beneficiando-a. Contudo, a ciência ainda encontra algumas dificuldades para coexistência pacífica em sociedade, como a falta de compreensão do método científico e o choque com paradigmas morais, culturais e religiosos. É preciso, então, proporcionar o diálogo entra ciência e sociedade, a fim de a compreensão e cooperação entre eles.

Visões Universalistas

Argumento Atual

          A sociedade contemporânea caracteriza-se pela globalização. As informações e a velocidade com a qual elas atingem a sociedade espantam qualquer um que tenha vivenciado as décadas de 1980 e 1990. Em razão da tecnologia e das facilidades que ela traz, os receptores dessas informações transformam-se cada vez mais exigentes, em todos os sentidos. Em virtude disso, o mundo se especializou. As profissões ganharam novos rumos, novas perspectivas.

Entendimento do Saber em Debate – De fato, existe no mundo acadêmico crescente preocupação com o impacto social, ou seja, em gerar conhecimento e realizar atividades capazes de trazer melhorias para a sociedade. A ambição é ir além do ensino, das pesquisas e da publicação de livros e artigos. O objetivo é prover benefícios tangíveis.

Argumento Sociológico

          O tema do impacto social não é novo. O marco inicial das preocupações atuais é frequentemente atribuído ao trabalho pioneiro do americano Wannevar Bush. Seu relatório: “Science: The endless frontier”, divulgado em 1945, advogava que a ciência deveria satisfazer as necessidades da população; e os motores da prosperidade seriam o conhecimento científico e o desenvolvimento tecnológico. Portanto, quanto mais recursos forem aplicados na ciência, maior seria o benefício social.

Entendimento do Saber em Debate – A partir dos anos 2000, percebeu-se que o avanço do conhecimento não implica, inexoravelmente, a criação de riqueza, e que bem-estar social é mais que crescimento econômico. Isso levou à busca de indicadores de impacto mais sensíveis às demandas sociais.

Teses Para o Desenvolvimento

1ª Tese – Compreender o papel da ciência no contexto social.

          A ciência e as tecnologias influenciam, hoje, direta e indiretamente, toda a vida na sociedade contemporânea. Contudo, devido a não compreensão do método científico, ainda há a colisão entre ciência e os paradigmas morais, culturais e religiosos, tornando necessário estabelecer uma ponte de comunicação entre a ciência e a sociedade.

Construindo o Texto – É fundamental estabelecer a cooperação entre a ciência e a sociedade através da compreensão do papel científico no contexto social. A ciência existe e trabalha para o benefício da sociedade, buscando soluções racionais para seus questionamentos. E a sociedade, enquanto produtora e beneficiária dessa ciência, deve garantir que nenhum direito subjetivo de alguém seja desrespeitado enquanto da produção do método científico.

2ª Tese – Modificar a base de crescimento econômico.

          Estabelecer a ideia de que crescimento, todavia, não é autônomo, isto é, não tem condições de auto-alimentar-se nem se satisfará, no largo prazo, simplesmente com os resultados das exportações de grãos e minérios. Ele cobra altos, massivos, permanentes investimentos em ciência e tecnologia, pois não é possível pensar no médio prazo sem preparar as bases do desenvolvimento tecnológico, ferramenta do desenvolvimento econômico e social.

Construindo o Texto – Trabalhar a ideia de que a universidade brasileira não tem revelado à altura desse desafio e dele se aparta a iniciativa privada – que continua pensando de forma, pequena, limitada, sempre a depender do Estado. Estamos atrasados nas áreas nuclear (ensino e pesquisa) e espacial, e estamos perdendo as bases nas quais a Petrobrás poderia assentar a exploração e desenvolvimento autônomos da indústria do pré-sal.

SOLUÇÃO

          Para o desenvolvimento em ciência e tecnologia de que carecemos, precisamos formar mais doutores, o que depende de uma política agressiva da Capes e do CNPq – porém, continuamos investindo pouco, muito pouco, em C&T, a saber, apenas 1,13% do PIB. Assim, não iremos longe – enquanto a Rússia forma 190 mil, a Índia 220 mil e a China 650 mil engenheiros por ano, nossas universidades formam de 30 a 35 mil engenheiros.  Na área da inovação, sem o que não teremos competitividade tecnológica, dependemos de uma indústria que, quando multinacional, traz de sua matriz a tecnologia que deseja aplicar, e que, quando nacional, prefere pagar royalties a produzir aqui sua própria tecnologia. Ademais, quais os desafios para o investimento em pesquisa se nossa economia está voltada para a produção de commodities, a saber, produtos na sua maioria sem valor agregado e que não carecem de tecnologia e inovação? Por essa e outras razões (entra as quais nosso modelo de desenvolvimento industrial tardio e dependente) o Brasil está no 36º lugar no ranking do registro internacional de patentes.

Detalhamentos

  • Construir uma relação de compreensão e cooperação entre a ciência e a sociedade para garantir que as necessidades desta sejam atendidas sem desrespeito a direito subjetivo de ninguém;
  • Requerer da comunidade científica a clareza e transparência quanto ao método científico utilizado;
  • Transmitir o conhecimento científico aos diferentes grupos, para que todos, democraticamente, possam criticar e usufruir desse conhecimento.

Redação da aluna ANA CAROLINA LYRA

          O progresso científico – como evidenciado historicamente- é acompanhado por melhorias na qualidade de vida humana. Apesar disso, é inegável que o potencial dessa área tem sido negligenciado no Brasil, visto que se apresenta de forma superficial em escolas e é desvalorizado em prol de questões econômicas.

          O caráter atrasado do conteúdo de ciências no currículo educacional brasileiro dificulta o interesse e o envolvimento do aluno nesse meio. Essa postura conservadora, por focar temáticas ultrapassadas e não abordar a realidade tecnológica vivida pelo estudante, distancio-o de sua compreensão, de forma limitar seu entendimento a conceitos simples. Além disso, a herança positivista compromete a atuação crítica do jovem nesse processo, culminando na relação verticalizada entre professor e aluno e em seu conseqüente obstáculo para seu aprendizado efetivo.

          Os interesses capitalistas, por outro lado, retardam o desenvolvimento de novas tecnologias, na medida em que não almejam o produto mais avançado, eficiente e duradouro, e sim, aquele que proporcionará maior lucratividade. Incentivos para esse ramo, sendo assim, são escassos e mal direcionados, o que contradiz diretamente o exposto no artigo 218 da Constituição Federal .

          Portanto, é imperativo que o MEC reformule as diretrizes curriculares do ensino brasileiro, destacando as revoluções tecnológicas que compõem a dinâmica atual e seu funcionamento teórico e prático, no intuito de tornar esse setor mais atrativo para os jovens. Em adição, o Estado deve expandir programas de incentivo à pesquisa, com uma maior divulgação sobre seus critérios e benefícios, além da abertura de concursos para pesquisadores de áreas científicas, de modo a elevar a opinião pública e a busca por essa profissão.

 

ESPELHO DA REDAÇÃO DO SABER EM DEBATE

TEMA: CIÊNCIA E SOCIEDADE: A NECESSIDADE DE COMPREENSÃO E COOPERAÇÃO.

 

COMP. I DEMONSTRAR DOMÍNIO DA NORMA CULTA 180 Demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios de convenção ou gramaticais: vírgula, pronome relativo e acentuação.
COMP. II COMPREENDER A PROPOSTA DE REDAÇÃO 200 Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta ÓTIMO domínio do texto dissertativo-argumentativo.
COMP. III CAPACIDADE DE SELECIONAR E ORGANIZAR AS INFORMAÇÕES 200 Apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, CONFIGURANDO AUTORIA, em defesa de um ponto de vista. É NECESSÁRIO MAIS PROGRESSÃO ARGUMENTATIVA.
COMP. IV DEMONSTRAR DOMÍNIO QUANTO AOS ELEMENTOS COESIVOS 180 Articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos. É necessário estar ciente dos três mecanismos coesivos: referencial, sequencial e lexical, PRINCIPALMENTE ESTA ÚLTIMA.
COMP. V APRESENTAR PROPOSTA DE INTERVENÇÃO 200 Elabora PERFEITA proposta de intervenção relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *