Temas prováveis para o ENEM 2016 (23)
   Luiz  André Medeiros  │     31 de outubro de 2016   │     20:58  │  0

Terceiro tema desta segunda-feira liberado aqui em nosso blog. Mais um tema desenvolvido com bastante zelo para você, que acompanha nosso blog, sempre estar atualizado com o melhor conteúdo nessa reta final para a prova do ENEM. Confira o texto:

x-default

11111

Tese Principal – Os direitos e as garantias constitucionais inerentes à pessoa humana têm sido, cada vez mais, questionados frente oa poder que advém do conhecimento da biotecnologia, entendido como biopoder. Esse novo poder deve ser pensado em seu sentido ético e moral, para que possa se manifestar e ser exercido legitimamente no Estado Democrático de Direito. A ciência não pode ser pensada como um setor da sociedade no qual um grupo de pessoas trabalha desinteressadamente no desenvolvimento do conhecimento humano

Visões Universalistas

Argumento Atual

          As experimentações genéticas não terapêuticas desenvolvem-se no âmbito da curiosidade científica e não podem ter seu valor negado. Tais experiências, no entanto, merecem relevado cuidado, uma vez que podem apresentar objetivos discriminatórios, ou mesmo contrários à ética e à dignidade humana.

Entendimento do Saber em Debate – A preocupação é que existem experimentações genéticas relacionadas à clonagem de seres humanos idênticos ou híbridos, bem como a atividades eugênicas, no sentido de eliminar desvios da “normalidade genética”. Na experiência eugênica, pretende-se modificar o genoma humano para a obtenção de características antes não verificadas.

Argumento Jurídico

          Quanto às possibilidades de desenvolvimento da pesquisa científica, terapêutica ou não, deve-se atentar para as disposições constitucionais. O artigo 1º da CF considera a dignidade da pessoa humana como fundamento do próprio Estado e o art. 5º garante o direito à vida, à liberdade e à igualdade, bem como a intimidade e a não submissão a tratamento desumano ou degradante. Por sua vez, o mesmo artigo proclama a liberdade da expressão científica.

Entendimento do Saber em Debate – Assim sendo, e considerando-se que a Carta Magna elenca diversos direitos tidos por fundamentais, deve-se fazer uma análise de prioridades quando houver algum confronto entre eles nesse sentido, entende-se que prevalecem os valores de dignidade, liberdade, igualdade e intimidade em relação à livre pesquisa científica.

Argumento Filosófico

          A intenção aqui é mostrar que a responsabilidade social da ciência não é mais um assunto interno dos cientistas. Atualmente, milhões de técnicos no mundo todo conhecem o método científico e o usam a serviço de estados e grandes corporações. O cientista formula as questões, mas o pesquisador pode estar em qualquer setor da sociedade. A responsabilidade está diluída na sociedade, ela extravasou o âmbito da ciência no sentido estrito.

Entendimento do Saber em Debate – A filósofa alemã naturalizada Hannah Arendt, em seu livro Eichmann em Jerusalém, investigou a brutalidade do regime nazista, apontando como uma das suas principais características a forma racionalizada com que foi feito o extermínio de seis milhões de judeus nos campos de concentração. O emprego da tecnologia, ou seja, das câmaras de gás e dos fornos crematórios, era um procedimento frio, burocratizado, uma operação feita por funcionários públicos. Eichmann é o nome de um desses funcionários de Hitler, a quem Arendt identificou como um produto típico do regime nazista – concluiu que isso se deveu a banalização do mal, obtida através de uma prática cientificamente programada e racionalizada.

Teses para o Desenvolvimento

1ª Tese – Refletir o avanço da ciência.

          Nesse sentido, vê-se presente a função reguladora do Direito, que tem o compromisso de resguardar os direitos e garantias fundamentais do homem frente os arbítrios que podem advir do biopoder. Deve haver, assim, um debate bioético a respeito das novas relações sociais que a biotecnologia passa a estabelecer na sociedade, a fim de que o Direito possa cumprir com eficiência a sua atividade de harmonização de conflitos sociais, sem, no entanto, impedir o avanço científico.

Construindo o Texto – Trabalhar a ideia de que não cabe nenhuma ilusão a esse respeito: uma redefinição dos rumos do desenvolvimento tecnológico implicara, necessariamente, uma reorientação global da estrutura social – Mostrar a compreensão que os avanços da tecnociência têm sido objeto de discussões que resultam em transformações sociais, principalmente em decorrência de suas implicações éticas e sociais – para comprovar mostre que a produção científica e tecnológica está sujeita às forças que regem a sociedade, aos interesses econômicos, políticos, sociais, morais e éticos, ou seja, está inserida no processo de construção de valores sociais.

2ª Tese – Propor uma educação em bioética para ser examinada e debatida junto à sociedade.

          É necessário estimular o debate entre professores para que possamos conhecer o grau de preocupação e compreensão delas sobre as implicações sociais, políticas e éticas dos novos conhecimentos e aplicações da biologia, e se o conhecimento transmitido\recebido é um instrumental capaz, adequado e suficiente para a iniciação de reflexões bioéticas.

Construindo o Texto– A educação e a formação em bioética é, antes de tudo, um processo de formação voltado ao desenvolvimento dos valores associados ao exercício da cidadania. E não há como negar que, no espaço escolar, o indivíduo passará as primeiras experiências de exercício de sua cidadania. Assim, o cidadão deve saber pensar, ultrapassar a mera expressão de seus interesses particulares, aceder a um ponto de vista universal, encarar os problemas considerando o interesse da comunidade em seu conjunto – Destacar o papel do professor em oferecer os meios, o gosto e o hábito da participação aos seus alunos, estabelecendo uma relação dialógica, conferindo, assim, um sentido moral e político à sua ação docente.

 

Solução

          É nas escolas secundárias que as pessoas adquirem noções básicas de genética, o que nos leva a concluir que esse é o público alvo prioritário para o trabalho de despertar e estabelecer uma consciência crítica, uma consciência bioética, que priorize o resgate da função social das ciências biológicas. É preciso que nós, as pessoas comuns, a maioria da sociedade, exijamos que as biociências, sobretudo a genética, sejam ensinadas com os aportes, significados e simbolizações que possuem hoje. Tais conhecimentos, se transmitidos juntamente com explicações sobre seu emprego industrial e comercial e a carga de ressonância ética que carregam, possibilitam o exercício da cidadania em maior plenitude e consciência.

Detalhamentos

  • Escreva com base na ideia de que, considerando as rápidas transformações tecnológicas e científicas no âmbito das biociências e a emergência de questões polêmicas, como a eutanásia e os direitos sexuais e reprodutivos, é necessário discutir a inserção da Bioética na educação escolar, sobretudo no ensino médio;
  • Tal inserção é pensada em termos interdisciplinares, de modo a envolver os professores das diferentes disciplinas e possibilitar a abordagem de temáticas atuais que não devem ser ignoradas nos processos de formação intelectual e moral dos estudantes.

Redação da aluna PAULA JATOBÁ

          O artigo 5º da Constituição Federal garante o direito à vida, à liberdade e à igualdade, bem como à intimidade. O crescente número de pesquisas relacionadas ao campo biomédico no Brasil vem trazendo questionamentos sobre os aspectos éticos dessa questão. Estudos envolvendo células humanas, por exemplo, impulsionam debates que vão além de argumentos técnico-científicos, abrangendo também perspectivas morais e religiosas.

          As novas tecnologias, advindas do acelerado desenvolvimento científico, dominam cada vez mais a natureza. A engenharia genética, as investigações com células-tronco e os novos meios reprodutivos são exemplos disso. Tais pesquisas não mais são restritas a uma pequena parte da população: hoje, as discussões alcançam o Governo, o Legislativo, o Judiciário e até a mídia. O envolvimento do ser humano nesse delicado processo requer, além de formas seguras de proteção à integridade dos cidadãos, a certeza de que isso beneficiará a sociedade brasileira.

          A racionalidade que o cientificismo submete aos indivíduos o faz ser visto como neutro e imparcial. Contudo, ao analisar o regime nazista, o qual utilizou das suas câmaras de gás e dos fornos crematórios para o extermínio de 6 milhões de judeus, percebe-se que, apesar de trágica, a tecnologia foi usada de forma burocratizada e por funcionários públicos. Assim, exemplos atuais como a clonagem de humanos e a eliminação de anormalidades genéticas podem apresentar objetivos discriminatórios e contrários à dignidade de um ser;

          É preciso que, nas escolas, a genética seja ensinada de modo que estabeleça nos alunos uma consciência crítica, resgatando a real função das ciências biológicas. Por meio de palestras, o grau de conhecimento das pessoas deve ser elevado, explicando o assunto e suas implicações sociais. Sendo assim, é necessário um debate bioético a fim de que o Direto possa ser cumprido de forma eficiente, sem que impeça o desenvolvimento científico do pais.

ESPELHO DA REDAÇÃO DO SABER EM DEBATE

TEMA:  A engenharia genética e o limite entre a libertação e a destruição

COMP. I DEMONSTRAR DOMÍNIO DA NORMA CULTA 200 Demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções aqui encontrados e não reincidentes não prejudicaram a construção gramatical do texto.
COMP. II COMPREENDER A PROPOSTA DE REDAÇÃO 200 Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo.
COMP. III CAPACIDADE DE SELECIONAR E ORGANIZAR AS INFORMAÇÕES 200 Apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, CONFIGURANDO AUTORIA, em defesa de um ponto de vista.
COMP. IV DEMONSTRAR DOMÍNIO QUANTO AOS ELEMENTOS COESIVOS 180 Articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório pouco diversificado de recursos coesivos. É necessário estar ciente dos três mecanismos coesivos: referencial, sequencial e lexical.
COMP. V APRESENTAR PROPOSTA DE INTERVENÇÃO 180 Elabora proposta de intervenção BEM ARTICULADA e relacionada ao tema, porém apresenta falhas quanto ao DETALHAMENTO.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *