Saber em Debate com o autor
   Luiz  André Medeiros  │     20 de março de 2017   │     20:38  │  0

Robert

          Desde o início da década de 1990, o conceito de Capital Social tem sido foco de intenso debate, em cujo cerne está a ideia de que as pessoas podem tratar suas conexões  umas com as outras  como um recurso essencial, do qual podem valer-se para uma variedade de propósitos – grupos de pessoas se reúnem para defender interesses comuns ou, num nível mais amplo, todas as formas de organização social se baseiam em complexas redes de conexões interpessoais que as mantém unidas. Nas palavras de Robert Putnam, “a ideia central da teoria do Capital Social é que  as redes sociais têm valor… os contatos sociais  afetam a produtividade de indivíduos e grupos”.

          O Capital Social ajuda a resolver os problemas da ação coletiva, no sentido de se obter cooperação social – na perspectiva do sociólogo Robert Putnam, o capital social é entendido como um conjunto de características da organização social – confiança, normas e sistemas – que tornam possíveis ações coordenadas.

Dica: Muito utilizado em nossas aulas, esse conceito desenvolve instrumentos empíricos para examinar a tese de que o capital social promove cooperação social e de que esta se reflete no desempenho das instituições – conclui que o capital social é um fator explicativo da comunidade cívica, que, por sua vez, constitui o contexto do bom desempenho institucional, isto é, quanto maior a participação e a cobrança popular, menores os problemas sociais.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *