Saber em Debate e o Espelho da Redação
   Luiz  André Medeiros  │     24 de maio de 2017   │     20:04  │  0

Olá acompanhantes do nosso blog! Nessa noite de quarta-feira disponibilizamos mais um conteúdo de extrema relevância para você que deseja aprovação nos mais diversos vestibulares pelo Brasil. Confira hoje a redação do aluno André Felipe Cavalcante Fonseca, juntamente com o respectivo espelho de correção a uma ferramenta bastante importante usada em nossas turmas de redação: a CORREÇÃO COLORIDA! Confira o tema e o texto a seguir:

Aluno: André Felipe Cavalcante Fonseca

Na análise durkheimiana, anomia é uma condição em que as normas sociais e morais são confundidas, pouco esclarecidas ou simplesmente ausentes. Entretanto, a cultura do estupro não pode ser vista como um fenômeno sociocultural, o qual possa intervir no estabelecimento de mecanismos sociais que ofereçam políticas públicas em prol da sociedade. Nessa perspectiva, é de fundamental importância propor condições de igualdade e mudanças culturais para o ser humano.

De acordo com a filósofa Hannah Arendt, todos os indivíduos possuem o “direito a ter direitos”. A questão da cultura do estupro, porém, vem a ser uma prática maléfica a que muitos brasileiros são submetidos, e, em pleno século XXI, a mulher é objetificada e torna-se um símbolo de assédio para o grupo machista. Assim, essa violação não afeta só a dignidade humana, como também toda a pirâmide constitucional. Nessa lógica, vale abordar que o direito de igualdade deve ser observado nas condições de vida da mulher, já que, muitas vezes, elas não denunciam o feitor por medo de sofrer algum tipo de violência. Logo, essa situação não coaduna com o modelo de um Brasil que almeja um desenvolvimento de políticas públicas que iguale o direito a todo cidadão.

Nesse contexto, a mudança que reflete a ânsia da sociedade por melhoria não apenas legislativa, mas também cultural está englobada na reflexão de ações do próprio homem. Dessa forma, a transformação da cultura deve ser analisada desde as primeiras fases da vida, ainda mais com a garantia de que o estupro é um crime hediondo e pejorativo. Dentro desse mesmo raciocínio, enxerga-se a escola e o seio familiar como dois pilares que dão sustento a toda forma de transição cultural, visto que, no Brasil, o pensamento e as atitudes machistas são impregnados, desde o país colonial, até o presente momento.

Por tudo isso, são necessários leis draconianas que ofereçam recursos que valorizem as diferenças e, acima de tudo, o reconhecimento de que todo ser humano tem direito à dignidade, mediante a criação e a renovação de leis pelo Poder Legislativo, de modo a visar ao controle e à punição daqueles que desrespeitarem as vítimas de estupro. Assim, é essencial uma consciência social promovida pelas escolas, com a iniciativa de campanhas educativas: confecção de panfletos, debates e apresentação de vídeos que possibilitem aos alunos uma análise crítica sobre a problemática desse crime e provoque, também, uma mudança cultural de forma mais ampla.

COMP. I DEMONSTRAR DOMÍNIO DA NORMA CULTA 200 Demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Os sinais de pontuação foram empregados de forma a facilitar o processo coesivo do texto, pois muitos foram usados para intercalar orações ou elementos de síndeto.
COMP. II COMPREENDER A PROPOSTA DE REDAÇÃO 200 Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta ÓTIMO domínio do texto dissertativo-argumentativo. Além disso, ressaltamos a escolha das visões universalistas na introdução e no primeiro parágrafo de desenvolvimento, o que denota habilidade de contextualizar e cumpre uma das funções desta competência quando exige a APLICAÇÃO DE OUTRAS ÁREAS DO CONHECIMENTO.
COMP. III CAPACIDADE DE SELECIONAR E ORGANIZAR AS INFORMAÇÕES 200 Apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, CONFIGURANDO AUTORIA, em defesa de um ponto de vista. Interpretar é sempre um desafio para o escritor da redação; neste texto, enfatizamos o que é chamado de INDÍCIO DE AUTORIA, principalmente nas linhas 10 a 15 e linhas 18 a 22. Perceba que no desenvolvimento essa é a parte mais consistente.
COMP. IV DEMONSTRAR DOMÍNIO QUANTO AOS ELEMENTOS COESIVOS 200 Articula as partes do texto com  repertório diversificado de recursos coesivos. É necessário estar ciente dos três mecanismos coesivos: referencial, sequencial e lexical.
COMP. V APRESENTAR PROPOSTA DE INTERVENÇÃO 200 Elabora PERFEITA iniciativa de solução relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Nas duas propostas, os agentes mobilizadores estão bem evidenciados, bem como os objetivos de cada intervenção.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *