Redação do Aluno Saber em Debate e o Espelho de Correção
   Luiz  André Medeiros  │     31 de agosto de 2017   │     12:23  │  0

Nessa quinta-feira realizamos mais uma postagem em nosso blog para homenagear mais uma incrível redatora de nosso curso presencial, a aluna Ana Júlia Almeida, que produziu um incrível texto sobre uma temática abordada em sala de aula. Confira abaixo essa incrível redação e uma de nossas técnicas de correção, a mesma que é utilizada pelos corretores da UNCISAL!

 

ALUNA: MARIA JÚLIA ALMEIDA

 

Sob a perspectiva do sociólogo Zygmunt Bauman, a sociedade pós-moderna- caracterizada pelo pensador como líquida- vive o fenômeno da “multidão solitária”, na qual as pessoas convivem lado a lado, mas não aprofundam o contato. Esse fato social, fruto dos valores consequentes do fim da  Guerra Fria, afeta diretamente as relações atuais e torna o ato de amar um desafio. Nesse sentido, os princípios capitais incentivam a reificação dos indivíduos, o que resulta na degradação dos laços afetivos e da convivência.

Em coadunação com o filósofo francês Gilles Lipovetsky, a atualidade é o momento do “hiperconsumismo”, e, nela, a exaltação do ato de consumir atinge o âmbito do convívio. Dessa maneira, os valores capitais aplicados nas mercadorias são empregados, também, nas pessoas, ou seja, ocorre a “coisificação” do ser humano, que se torna, portanto, substituível. Os relacionamentos baseados nesse “amor líquido” são denominados, por Bauman, “relacionamentos de bolso” e evidenciam a dissolução da dignidade humana, em virtude do caráter descartável atribuido ao homem e a troca da busca da felicidade pela busca da aparência vendável.

Por conseguinte, a solubilidade e a fluidez das relações promovem a degradação dos laços afetivos e da convivência social, uma vez que não ocorre a formação de vínculos ou elos que fortaleçam o contato. A supremacia do amor, portanto, é contemplada apenas no período literário do Romantismo, e a realidade apresenta-se marcada por um sentimento de desencantamento e de ambição: não há a procura pela parceria durável, mas sim pela formação de redes que promovam vantagens e que atinjam interesses.

Assim, as regras do mercado saem do campo econômico e se realizam no social, o que fere a individualidade e a condição humana por efeito do caráter substituível deposto no homem. Ademais, os princípios dominantes do período pós Guerra Fria interferem na dinâmica social, posto que, na “modernidade líquida”, ocorre a submissão das relações afetivas ao fator financeiro.

A Prova de Redação, com limite mínimo de 20 (vinte) e limite máximo de 30 (trinta) linhas considerando letra de tamanho regular, será avaliada a partir dos seguintes critérios:

 

Estrutura e organização gráfica – Colocação de parágrafos e de margens, sequência lógica, estrutura do parágrafo: 0 a 3 pontos 

NOTA OBTIDA: 3,0

 

No texto dissertativo-argumentativo, os parágrafos devem estar todos relacionados com a tese ou com a ideia principal  do texto, apresentada na introdução.

Quanto à estrutura do texto analisado, percebe-se que o 1º parágrafo cumpre as exigências da estrutura introdutória, bem como o último que encerra a produção. A aluna faz uma divisão muito bem elaborada, com três períodos:

 

1º: Aplica um conceito de outra área específica para preparar o leitor para a apresentação do tema, ou reafirmação da tese. CONCEITO DE CUNHO SOCIOLÓGICO.
2º: Na sequência, há uma presença do tema. Essa estratégia utilizada nesse período é muito interessante, porque demonstra para o corretor que houve entendimento da proposta embutida no tema.
3º: Já nesse período, há a apresentação dos argumentos selecionados. ATENÇÃO! AQUI APONTAMOS A NECESSIDADE DE ENFATIZAR AS TESES. ELAS SERÃO O SUSTENTO DO CORPO DO TEXTO. NÃO PRECISA APENAS CITÁ-LAS, MANTENHA UMA PROGRESSÃO AQUI TAMBÉM.

 

Apesar de estratégias bem consolidadas, o texto apresenta falhas quanto à proporcionalidade dos períodos: um grave descuido que NÃO PODE ACONTECER NO VESTIBULAR DA UNCISAL.

A estrutura do parágrafo é essencial para a pontuação nesse critério avaliativo.

 

Conteúdo – Tratamento do tema de forma pessoal: 0 a 4

NOTA OBTIDA: 4,0

 

Verifica-se, claramente, a defesa de um ponto de vista – especialmente no que tange à ideia de “hiperconsumo”, denominado assim pelo filósofo Giles Lipovetsky,a qual exalta o ato de consumir ao passo que produz nos seres a sensação de que eles também são tratados como mercadoria. Essa visão equivocada, PORÉM REAL, dificulta, de todas as maneiras, as mais diversas formas de demonstração de amor.

Com base na estruturação padrão dissertativo, o desenvolvimento das ideias cumpre o percurso de proposição e de argumentação de uma tese. Além disso, o texto atende à temática solicitada de maneira consistente, segura e com marcas de um repertório sociocultural produtivo:

  • Conceito sociológico de “Modernidade Líquida”, de “Amor Líquido” e de “Relacionamento de Bolso” do pensador Zugmunt Bauman;
  • Argumentação – 1º desenvolvimento- embasada na ideia de “hiperconsumo” do filósofo Gilles Lipovetsky;
  • Exaltação do amor na fase do Romantismo da Literatura Brasileira.

 

Expressão (correção da linguagem) – Norma culta gramatical vigente no país. Ortografia, acentuação, concordância, pontuação e regência: 0 a 3

NOTA OBTIDA: 2,0

 

Linha 3, o coesivo adequado é NO qual – ela usa na qual. Linha 14, ausência do acento gráfico no vocábulo “atribuído”.

Na mesma linha 14, constatamos uma falha coesiva – o mais adequado seria: […] “bem como enfatiza a troca da busca da felicidade pela busca da aparência vendável”.

 

NOTA FINAL: 18 de 20

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *