Modelo de Redação UNCISAL – Redação em Debate
   Luiz  André Medeiros  │     2 de dezembro de 2017   │     15:38  │  0

Atendendo a pedidos de diversos de alunos e seguidores de nosso blog, decidimos realizar uma nova postagem como um modelo de redação atualizado que atenda as exigências do vestibular UNCISAL. Confira abaixo nosso texto:

Modelo de Redação Uncisal

Tema  – A cidadania como geradora de políticas públicas no Brasil

Ideia Geral – A participação cidadã é vista como um processo capaz de gerar uma nova dinâmica de organização social, fomentando a intervenção da população nas políticas públicas. Não se esgota dentro do projeto, mas relaciona-se diretamente com questões amplas, tais como democratização, equidade social, cidadania e defesa dos direitos humanos. Neste sentido, requer a democratização do poder sobre o uso de recursos financeiros e sobre a definição e implementação de políticas públicas, entre outros fatores.

 

Introdução

Em consonância com as ideias do filósofo alemão Karl Marx, toda crise tem sua própria história e suas próprias consequências. Em comum, percebe-se a interação dialética entre relações sociais e econômicas que indicam alterações comportamentais, determinantes de mudanças e rupturas insuspeitadas que são geradas pela busca da cidadania. Assim, em um mundo globalizado, existem poderes econômicos mais fortes que qualquer parlamento e sempre haverá muitas pressões e, por isso, é necessário que a cidadania siga mobilizada para buscar suas prioridades na agenda política.

Desenvolvimento

Historicamente, a democracia nos foi apresentada como um ponto de chegada, como algo já feito e acabado, mas foi um erro, pois essa se constrói a cada dia com a participação cidadã. No que diz respeito à sua composição, o Congresso Nacional, instituição que congrega nossas demandas,  condensa o que há de mais conservador da política e não dá conta da diversidade e do pluralismo da sociedade brasileira. Mais de 70% dos parlamentares federais são ruralistas ou empresários (de diversas áreas, como saúde, educação, comunicação, indústria, etc.). E mais: Menos de 10% é ocupado por mulheres (ainda que sejam mais da metade da população do país); somente 8,5% se declaram negros; nenhum é indígena e menos de 3% são jovens.

Porém, engana-se quem acredita que essa crise do modelo de representação é direcionada exclusivamente para o sistema político. Os meios de comunicação também são colocados em xeque durante protestos. Após o comportamento da grande mídia diante dos atos de rua, marcado pela manipulação das informações veiculadas, a Rede Globo tornou-se também um alvo da insatisfação popular – não é raro ouvir os manifestantes gritando palavras de ordem como “o povo não é bobo, abaixo a Rede Globo” – , o que demonstra a importância da cidadania midiática. Neste sentido, abriu-se uma oportunidade de massificar, de forma mais contundente, a pauta da democratização da comunicação, em articulação com a reforma do sistema político.

Conclusão

Por esses motivos, a democratização das comunicações, especialmente a partir da luta por um novo marco regulatório para o setor (tendo como estratégia a coleta de assinaturas para um Projeto de Lei de Iniciativa Popular) e a reforma do sistema político, por meio da realização de uma Constituinte Exclusiva e Soberana, apresentam-se como duas demandas essenciais no processo de radicalização da democracia brasileira. Logo, acredita-se que, no pensamento do dramaturgo alemão Bertold Brecht, apenas quando o cidadão é instruído pela realidade pode mudá-la, já que o pior analfabeto é o analfabeto político.

 

O texto segue o estilo clássico de escrita com a introdução em 3 períodos e os parágrafos de desenvolvimento trazendo os argumentos e as respectivas interpretações de forma clara. A introdução e o primeiro de desenvolvimento trazem Visões Universalistas filosóficas e históricas e o segundo de desenvolvimento fecha, no último período, com a ideia que será exposta na retomada da conclusão. Na conclusão apresentamos uma retomada dos argumentos apresentados seguidos de intervenções – notem os detalhamentos nas duas teses e o último período com uma alusão ao pensador alemão Bertold Brecht.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *