Redação da aluna Jasmim Kunty
   Luiz  André Medeiros  │     11 de maio de 2018   │     20:46  │  0

Retornamos, nessa sexta-feira, com mais um excelente texto de uma de nossas alunas do Projeto de Redação que mais aprova no estado de Alagoas. Confiram agora a redação da aluna Jasmim Kunty:

Em fins do século XVIII, foi relatada pela primeira vez uma enfermidade de nome “banzo”: estado de melancolia profunda que acometia escravos e levava-os ao ato suicida. Apesar das mudanças sociais e dos avanços humanos, os casos de depressão que levam á morte têm crescido consideravelmente no Brasil, seja pelo significativo individualismo nas cidades, seja pelo tabu que encobre essa problemática.

Evidencia-se que, para o sociólogo Zygmunt Bauman, as formas de vida contemporâneas assemelham-se pela vulnerabilidade e fluidez, incapazes de manter a mesma identidade por muito tempo. Essa volatização das relações sociais e dos laços humanos lamentavelmente contribui para o constante estado de solidão no cotidiano pós-moderno. Dessa maneira, a segurança e a empatia que outrora faziam-se base dos vínculos coletivos, deram lugar para a angustiante introspecção que ocupa os indivíduos, e assim, a depressão alastra-se pelas comunidades apáticas e tem seu ápice na penosa ação suicida.

Ligado a isso, tem-se a falha atuação do Ministério da Educação (MEC), que ao velar à temática do suicídio e dos males que o precedem, gera um danoso tabu, o que favorece o silenciamento dos jovens e o consequente elevado índice de atentados contra a própria vida por esses. Tal situação é alarmante, afinal, a condição de intenso desolamento, destacado na obra romântica “Os sofrimentos do jovem Werther” de Goethe, perpassa a literatura e converte-se na realidade dos adolescentes, desamparados, no Estado brasileiro.

Logo, faz-se necessário que o MEC estabeleça um sistema educativo humanizado, por meio de atividades que estimulem a coletividade e palestras com psicólogos que dissertem sobre os desdobramentos da depressão, e assim, os casos de suicídio sejam mitigados. Além disso, é preciso que a sociedade civil organizada fortaleça os laços afetivos – com a criação de grupos municipais que desenvolvam atividades beneficentes – a fim de restabelecer a solidez das relações e diminuir a solidão na vida contemporânea.

 

NOTA FINAL DA ALUNA: 980 PONTOS

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *