Redação da aluna Gabriella Nonato
   Luiz  André Medeiros  │     14 de maio de 2018   │     20:59  │  0

Mais uma de nossas alunas conquista, nessa segunda-feira, a excelência na produção textual! Nossa queria aluna Gabriella Nonato produziu uma incrível redação e alcançou 980 pontos em sua nota final. Confira a seguir a temática e a redação da aluna na íntegra:

A Revolução Neolítica ocorreu quando os indivíduos passaram a ser sedentários, pois haviam aprendido a dominar a natureza para suprir suas necessidades de subsistência. No entanto, ao longo do tempo, o homem passou a usar o meio ambiente de forma exagerada com a utilização excessiva de recursos naturais, o que resultou no desequilíbrio exploratório. Nesse âmbito, possibilitar um estímulo à consciência ecológica, bom como formar um novo modelo de intervenção ambiental, são fundamentais para a harmonia entre o homem e os ecossistemas.

Em conformidade com o sociólogo inglês Anthony Giddens, a maior parte dos problemas ambientais, enfrentados na atualidade, é resultado direto dos avanços técnicos e científicos. Nessa lógica, de forma inevitável, percebe-se que o progresso materialista é intimamente associado à carência de pensamento sustentável, além da publicidade que gerou uma massa alienada, provocou o consumo exacerbado e uma intensa degradação da biosfera. Entretanto, existem formas menos nocivas de exploração que conciliam a evolução tecnológica à manutenção saudável do meio natural; todavia, essas medidas são mal utilizadas, pois o Estado não garante um ambiente ecologicamente equilibrado, assim como a conscientização dos cidadãos.

Ademais, é notório que o atual modelo de intervenção na natureza é obsoleto, já que as sociedades modernas são materialistas, consumistas e possuem um padrão de consumo incompatível com a capacidade de renovação dos recursos naturais. Sendo assim, o consumismo, impulsionado pelos falsos desejos plantados pelo capitalismo ameaça  seriamente a capacidade biótica da Terra. Logo, as pessoas não querem aceitar que o estilo de vida atual contribui com a mudança climática, considerada uma questão de baixa prioridade, mas não deveria ser.

Portanto, é dever do Ministério do Meio Ambiente construir, nas comunidades, oficinas de reciclagem e desenvolver campanhas educativas que explanem o quão importante é a preservação do planeta. Outrossim, é necessário, por parte governamental, modificar os atuais mecanismos de usufruto da natureza, mediante a obediência dos parâmetros estipulados pela RIO+20 – maior conferência sobre desenvolvimento sustentável do mundo -, com ações para garantir o avanço ecológico no mundo e reduzir os impactos ambientais, a fim de promover a plena sustentabilidade.

Nota final da aluna: 980 pontos.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *